“Foi a minha maior frustração”, lamenta Danilo Bruxel sobre R$ 3,3 milhões retirados do caixa antes de sua posse 

Gestão do ex-prefeito de Arroio do Meio, Klaus Werner Schnack quitou financiamento que foi aprovado há cerca de um ano pela Câmara de Vereadores para realizar pavimentações.


2
Prefeito de Arroio do Meio, Danilo Bruxel (Foto: Rodrigo Gallas)

“Foi a minha maior frustração”, lamenta o novo prefeito de Arroio do Meio, Danilo Bruxel (PP) sobre R$ 3,3 milhões retirados do caixa do Município antes de sua posse. Segundo o chefe do Executivo, ele recebeu a informação no sábado (2) passado, um dia depois de assumir a Administração Municipal.

O financiamento junto à Caixa Econômica Federal foi aprovado por unanimidade pela Câmara de Vereadores há cerca de um ano para realizar pavimentações no município. A gestão do ex-prefeito de Arroio do Meio, Klaus Werner Schnack (MDB), quitou o financiamento.

“Os juros eram baixos. O valor seria pago em 15 anos. Por surpresa nossa, para o prefeito não dar o gosto de deixar o dinheiro em caixa, ele devolveu o dinheiro.” Segundo Bruxel, o montante também poderia ter sido deixado encaminhado para as pavimentações em andamento. “Era só deixar as obras licitadas”, explica. “Foi uma situação feita por ciúmes”, reitera.


ouça a entrevista 

 


 

Apesar do empasse causado pela antiga gestão, Bruxel avalia a transição de governo como tranquila e lenta. “Tivemos pouco tempo, porque a eleição foi somente em novembro.”

Antes de entregar o cargo, a gestão de Klaus fez uma exposição das máquinas do município para mostrar o suposto bom estado de conservação. No entanto, Bruxel afirma que boa parte do maquinário precisa de manutenção antes de sair para os trabalhos.

O novo mandatário municipal, que assume Arroio do Meio pela terceira vez — foi prefeito de 2001 a 2008 —, destaca como valores de seu mandato o comprometimento, o cuidado e a transparência com o dinheiro público. Ele coloca como prioridade projetos de infraestrutura e pavimentação, mote da sua campanha eleitoral.

Votação

Bruxel derrotou Schack por uma margem estreita nas eleições de 15 de novembro de 2020. As pesquisas mostravam liderança do ex-gestor, mas também captaram o movimento de chegada de Bruxel dias antes da votação. No final, Bruxel teve 7.136 votos (51,86%), e Schack 6.625 votos (48,14%).

Texto: Rodrigo Gallas
web@independente.com.br

2 Comentários

  1. Temos duas situações já vivenciadas em outras épocas. A primeira é, que se seu antecessor não pagasse a conta, diria que este deixou para ele pagar, a segunda, é deixar os cofre vazio para o sucessor ter que começar do zero. Em fim, brigas políticas que não nos levam a lugar nenhum, a não ser, ficar com mais nojo de políticos. Quando os políticos ( digo políticos, por politicagem que fazem ), começarem a governar de verdade, os chamarei de administradores, de governo etc…. Por enquanto, são meros políticos, daqui a pouco, nem isso serão mais.

  2. Se bem lembramos o senhor Danilo em debate reclamou que a próxima gestão teria esta dívida para pagar. Será que ele está ruim de memória? Ele queria ter esta dívida pra pagar a qual tanto reclamou?

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui