Formação para professores em Teutônia incentiva a vivência de Círculos de Construção de Paz

A formação de facilitadores da paz visa aplicar a Justiça Restaurativa no município, baseada na metodologia dos Círculos de Construção de Paz.


0
Formação abordou os Círculos de Construção de Paz (1) (Foto: Divulgação)

Entre os dias 9 e 11 de dezembro, a Secretaria de Educação de Teutônia promoveu a Formação de Facilitadores da Paz, tendo a participação de 15 profissionais de diferentes escolas do município, junto ao Centro Municipal de Ensino Fundamental Leonel de Moura Brizola, no Bairro Centro Administrativo. A formação de facilitadores da paz visa aplicar a Justiça Restaurativa no município, baseada na metodologia dos Círculos de Construção de Paz.

O conteúdo programático da formação contemplou: conceito, princípios, fundamentos e valores da Justiça Restaurativa e dos Círculos de Construção de Paz; elementos estruturais dos Círculos de Construção de Paz: valores e diretrizes, cerimônias de abertura e de encerramento, objeto da palavra, check-in e check-out e perguntas norteadoras, contação de histórias e a construção de consensos; vivência do papel de Facilitador no planejamento de Círculos; e o processo dos círculos nas escolas, com base no livro “Círculos em movimento: construindo uma comunidade escolar restaurativa”, de Carolyn Boyes-Watson & Kay Pranis.

A formação foi ministrada pela pedagoga Susiane Elise Drehmer, mestre em Educação e facilitadora voluntária dos Círculos de Construção de Paz no Centro Judiciário de Solução de Conflitos de Lajeado e na Promotoria de Justiça de Lajeado desde março de 2018. A formação foi de caráter vivencial e intensivo, como o objetivo de valorizar os valores humanos, melhorar as relações no ambiente escolar e a ação pedagógica no contexto atual.

A Justiça Restaurativa baseia-se, principalmente, na solução de conflitos por meio do diálogo. Em funcionamento há praticamente 10 anos no Brasil, tem como objetivo formar facilitadores capacitados a atuar nos círculos de construção de paz, por meio do fortalecimento dos relacionamentos e nas vivências em comunidade. “O trabalho contribui para um processo produtivo e de reintegração à sociedade, em lugar da simples pena punitiva”, reforçou Susiane.

A aplicação da Justiça Restaurativa no município, com base na metodologia dos Círculos de Construção de Paz tem o intuito de colaborar numa comunidade mais pacífica, mudando o olhar na forma de pensar e de agir os conflitos e na prevenção destes, através da promoção do diálogo e fortalecimento de relacionamentos saudáveis. “Esta proposta oferece uma ferramenta que contribui no bem-estar dos munícipes, possibilitando o acolhimento e escuta. Sabe-se das dificuldades de relacionamento que as pessoas possuem nos diferentes espaços de circulação, principalmente dentro das famílias. Portanto, esta prática vem colaborar para uma sociedade menos punitiva e mais educativa, de paz e harmonia nas relações”, explicou a pedagoga.

Conforme a coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação Kátia Cilene Rex, a formação contribui muito para a articulação da Rede Municipal de Atendimento nas políticas públicas e sociais, principalmente na comunidade escolar, nas escolas infantis e de ensino regular, pais, alunos, professores, equipes diretivas e funcionários na participação de círculo de construção de paz. “Os Círculos de Construção de Paz serão realizados com os professores do Município e utilizar-se-ão de práticas restaurativas que valorizam a empatia, o respeito, a igualdade, a responsabilidade e a reparação de danos, ajudam no (re)descobrimento de sua autoestima e o valor que eles têm para si mesmos, para as suas famílias e para o mundo ao seu redor”, salienta.

Kátia ainda complementa outros benefícios dos Círculos de Construção de Paz. “O objetivo dessa prática também colabora na melhora das relações do ambiente escolar e as relações aluno e professor, aluno e sua família, desenvolvem um ambiente cooperativo e o senso de comunidade na escola, resolvem problemas que interferem no clima da escola e nos processos de educação, ao contrário dos métodos punitivos que pouco fazem para reduzir a reincidência ou os comportamentos negativos nas escolas”, frisa.

Entre os participantes da formação, o sentimento de gratidão pela oportunidade de aprender mais sobre os benefícios da Justiça Restaurativa e dos Círculos de Construção de Paz. “Obrigada pela oportunidade de participar deste momento único e de muita aprendizagem”, destacou a supervisora Janifer da Rosa Lang. AI/CS

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui