Fórum Gaúcho de Mudanças Climáticas discute avanços, alinhamento e plano de desassoreamento, em Lajeado

Evento foi realizado nesta quinta-feira (11) na Univates e pela primeira vez aconteceu fora de Porto Alegre. Equipe realiza visitas técnicas na parte da tarde


0
Evento aconteceu nesta quinta-feira (11), das 9h às 12h, no auditório do Prédio 7 da Univates. (Foto: Gabriela Hautrive)

Cerca de 60 pessoas participaram da 8ª edição do Fórum Gaúcho de Mudanças Climáticas (FGMC), promovido pela Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Infraestrutura (Sema), em Lajeado. O evento aconteceu nesta quinta-feira (11), das 9h às 12h, no auditório do Prédio 7 da Univates. Essa foi a primeira vez que a reunião aconteceu fora de Porto Alegre.

Entre os assuntos, foram discutidos os avanços da Câmara Técnica de Educação Ambiental Climática; o Plano de Bacia Taquari-Antas: alinhamento à mitigação de eventos climáticos extremos; a atuação da Promotoria Regional no enfrentamento dos desastres da Bacia Taquari-Antas e a proposta de plano de desassoreamento.


Além disso, o período da tarde foi reservado para realização de visitas técnicas a locais atingidos pelas enchentes no Vale do Taquari. O fórum é presidido pela secretária da Sema, lajeadense Marjorie Kauffmann. Conforme ela, já estava definido que o encontro aconteceria em Lajeado, mesmo antes das enchentes de maio.

“Eu falei agora mesmo que vai ser, em Lajeado, porque qual é a nossa ideia? A nossa ideia é que a gente traga as percepções e que a gente consiga construir conhecimento em todos os agentes participantes. Então tem o Ministério Público, tem várias secretarias do Estado, tem os comitês de crise. É um fórum em que o debate é aberto para a participação da comunidade”, destacou a secretária.

Fórum é presidido pela secretária da Sema, lajeadense Marjorie Kauffmann (Foto: Gabriela Hautrive)

Além da parte teórica, o evento conta com visitas técnicas. “Na parte da tarde, nós vamos fazer algumas visitas em locais que estão bastante arrasados e também no aterro que está recebendo, o aterro provisório, o local de depósito, recebendo os resíduos da enchente, que é uma iniciativa que foi criada agora, recentemente, entre o município de Lajeado e Cruzeiro do Sul, se identificou um local apto para receber esse entulho da enchente e lá estão sendo segregados e depositados”.

Sobre as ações a serem adotadas para prevenção é aquilo que é possível ser feito, Marjorie disse que estamos vivendo um novo momento e que tudo precisa ser pensado de forma diferente. “Então, remover as populações é muito caro? Pode parecer muito caro, mas mais caro é a gente perder essas pessoas. Então a ideia é que o Estado consiga desenhar soluções gerais para que dentro dos planos diretores os municípios reavaliem e executem as ações preventivas, ações de proteção da sua população”.

Para isso, a secretária citou a revisão dos planos de contingência, que conforme ela é fundamental. “Havia um outro nível de atenção da população, um outro nível de olhar para a Defesa Civil. Isso já é resposta do que nós vínhamos sofrendo desde o ano passado. Agora nós vamos ter que entrar na revisão dos planos diretores, que é promover essa remoção, essa realocação das populações para que a gente possa ter uma vida mais tranquila e que a gente possa se adaptar a viver com o rio e a gente já faz isso desde que a gente nasceu, mas agora com este rio em um momento de mudanças climáticas extremas”.

Promotor Sérgio Diefenbach representou o Ministério Público (Foto: Gabriela Hautrive)

Sobre o fórum

O Fórum Gaúcho de Mudanças Climáticas é uma iniciativa do Governo do Estado do Rio Grande do Sul que visa à promoção da discussão e à proposição de ações governamentais voltadas à mitigação, à minimização e à adaptação às mudanças climáticas globais.

Texto: Gabriela Hautrive
[email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui