‘Frida’ e ‘Fabri Mulher’: aplicativos ajudam mulheres a denunciar agressores

Os aplicativos deram visibilidade à violência doméstica, encoberta pelo isolamento social.


0
O atendimento "Frida" funciona via WhatsApp (Foto: Divulgação)

O isolamento social iniciado em março deste ano, como forma de evitar o contágio do novo coronavírus colocou várias mulheres em situação vulnerável, principalmente aquelas que vivem em um lar no qual a violência doméstica é trivial. A solução para o problema foi a criação de um canal de fácil acesso, via smartphone.

O atendimento virtual “Frida”, que funciona via WhatsApp, com o número (33) 99999-0091. A vítima manda uma mensagem de texto pelo número e é atendida por um “atendimento automático”, com respostas previamente programadas”.

Por meio do “Frida”, as mulheres conseguem solicitar agendamento para formalizar medidas protetivas, solicita cópia de medida, tira dúvidas sobre as leis que garantem seus direitos e pune os agressores. Também podem fazer denúncias de agressões a crianças, adolescentes, idosos e pessoas com deficiência.

O novo app foi criado em Governador Valadares, e na análise dos casos que chegam a Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher de Governador Valadares (DEAM/GV), a delegada titular da pasta, Adeliana Xavier, concluiu que as mulheres que antes viviam em ambiente hostil, com o isolamento passaram a viver dentro de uma grande panela de pressão.

Fabri Mulher

No Vale do Aço, a Prefeitura de Coronel Fabriciano, em Minas Gerais, criou o canal “Fabri Mulher” para denúncias de violência contra mulheres. O canal pode ser acessado no aplicativo eOuve, disponível no Google Play Store. Os passos seguintes, depois que a mulher digita as informações preliminares para que a denúncia seja aceita, basta descrever o acontecido, informar se possui deficiência, se quer manter sigilo e informar o local onde sofreu o abuso. A vítima ainda pode anexar fotos ou arquivos de texto e depois enviar.

Em Lajeado, a mulher pode pedir ajuda pelo WhatsApp da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), no número (51) 984444-0606.

Fonte: Estado de Minas

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui