Frutas, legumes e verduras assumem o posto de vilões da inflação no início de 2022

Salto dos preços que assustaram os consumidores nas feiras livres e nos hortifrútis é atribuído ao excesso de chuvas e estiagens


0
Foto: Divulgação

Depois de a ida ao posto de gasolina traumatizar os brasileiros no ano passado, o início de 2022 é marcado por pesadelos dos consumidores nos corredores das feiras livres e dos hortifrútis.

Nos dois primeiros meses do ano, itens dos subgrupos de tubérculos, raízes e legumes (+20,9%), hortaliças e verduras (+24,8%) e frutas (+7,1%) figuram como os principais vilões da inflação, de acordo com o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Entre os itens, a cenoura quase dobrou de preço (+98,4%) e corresponde ao maior salto registrado pelo índice oficial de preços no acumulado do primeiro bimestre.

A abobrinha (+64,7%), o repolho (+35,9%), a batata-inglesa (+35,4%), o pepino (+31,4%) e a alface (+30,5%) também apresentaram variações significativas no período.

Entre as frutas, os principais destaques negativos partiram do morango (+26%), da laranja-baía (+25,7%), da melancia (+24,7%), da banana-prata (+14,7%) e do melão (+14,4%). Somadas, as altas contribuíram para o avanço de 2,4% do grupo de alimentação e bebidas no acumulado dos primeiros meses de 2020, com disparadas acima de 1% em ambos os meses e maior impacto final para as famílias nos dois períodos.

Ao analisar o índice de fevereiro, o gerente do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) responsável pela pesquisa, Pedro Kislanov, ressalta que o clima foi a principal razão para as variações significativas.

Fonte: R7

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui