Funcionário público desvia R$ 7 milhões em toners de impressora nos EUA

Homem teria aprovado a compra de US$ 1,5 milhão do produto para a biblioteca municipal e armazenado a quantia desviada na garagem de sua casa para vender online.


0
Toners eram estocados em garagem e depois revendidos (Imagem: tookapic/Pixabay)

Auditores da cidade de Austin, no estado do Texas nos EUA, acusaram um ex-funcionário público pelo roubo de US$ 1,3 milhão, cerca de R$: 7,3 milhões, em toners de impressora. Randall Whited teria aprovado a compra de US$ 1,5 milhão do produto para a biblioteca municipal e armazenado a quantia desviada na garagem de sua casa para vender online.

Randall era justamente o encarregado das compras, recebimentos em dinheiro e do faturamento da biblioteca. Em um relatório de 72 páginas, apresentado neste mês, consta que ele tinha acesso a dez cartões de crédito no nome do Estado e gastou pelo menos US$ 18 mil na compra de produtos pessoais — como videogames, fones de ouvido e um drone.

Após análise de recibos, pedidos de compra e outros documentos fiscais, os auditores perceberam “vários exemplos de registros inadequados” com endereço de entrega para a casa de Randall. “As práticas e procedimentos inadequados da Biblioteca deram uma oportunidade para Randall roubar da cidade durante sua gestão, levando ao desperdício e gastos excessivos do departamento”, disse um dos auditores para a CNN. O crime milionário exposto no relatório envolve a compra de US$ 1,5 milhão em tintas de impressora, em um período entro outubro de 2007 e julho de 2019. Os auditores estimam que um valor dez vezes menor, US$ 150 mil, já teria sido o suficiente para as demandas da biblioteca.

Segundo a acusação, Randall chegava meia hora antes do seu turno durante a manhã, quando a supervisão do estoque era insuficiente, para desviar os toners. Os auditores ainda encontraram uma planilha com 60 vendas de cartucho em um período de quatro dias, em outubro de 2017, detalhadas. “O revendedor de toner confirmou que recebeu remessas de Randall no passado, mas não forneceu registros de pagamento para nosso escritório conforme solicitado”, afirma o relatório. “Como resultado, não pudemos determinar quanto Randall lucrou com as vendas.” De acordo com registros da corte americana, Randall foi indiciado a um grande júri sob a acusação de roubo. Ele pode pegar de 5 a 99 anos de prisão, a audiência está marcada para a terça-feira (13).

Fonte: UOL


DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui