GM interrompe fabricação de veículos em Gravataí

Confira as informações do programa Correspondente Independente das 8h.


0
Foto: Mauro Schaefer / CP Memória

Após dar férias coletivas de um mês aos trabalhadores da fábrica localizada em Gravataí, a General Motors (GM) anunciou, nesta quarta-feira, a suspensão da produção de veículos por mais dois meses. A medida, motivada pela falta de peças para abastecimento da linha, vai se estender até o final do mês de maio. Em nota, a montadora atribuiu o problema às “paradas de produção durante a pandemia, e à recuperação do mercado mais rápida que o esperado”. Conforme a GM, a escassez de suprimentos que afeta a indústria automotiva na América do Sul deve provocar reflexos até julho, mês em que está previsto o retorno ao volume de produção regular. O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí, Valcir Ascari, afirma que a categoria compreende o momento da empresa, e que não há indicativos de demissões na fábrica de Gravataí. O pagamento adiantado da participação dos funcionários nos lucros da GM e de abono estão mantidos. Com a suspensão dos contratos, os funcionários devem ter acesso a benefícios como o Seguro Desemprego até a normalização das atividades na fábrica. Cerca de 5 mil trabalhadores, entre funcionários da própria GM e de fornecedoras, estão vinculados à unidade instalada em Gravataí. Fonte: Correio do Povo

Brasil registra 1.840 mortes em 24 horas e volta a bater recorde da pandemia; total chega a 259,4 mil

Em seu pior momento da pandemia, o Brasil registrou 1.840 mortes por Covid-19 em 24 horas. No 2º dia seguido de recorde, o país se aproxima dos 260 mil óbitos. Já são 42 dias com a média móvel de mortes acima da marca de 1 mil. Em casos confirmados, 10.722.221 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus. A curva de óbitos sobe em 16 estados e no Distrito Federal. Veja os dados detalhados. Em São Paulo, o governador João Doria (PSDB) voltou a afirmar que o estado passa pelo pior momento da pandemia e que, nas últimas 24 horas, a secretaria estadual da Saúde recebeu mais de 900 pedidos de internação, o que dá uma média de um pedido a cada dois minutos no estado. Fonte: G1

Governo decide comprar vacinas contra a Covid-19 dos laboratórios Pfizer e Janssen

O Ministério da Saúde decidiu assinar contratos para compra de vacinas contra a Covid-19 dos laboratórios Pfizer e Janssen. Os contratos estão em fase de elaboração e devem ser assinados até o início da próxima semana. A proposta apresentada pela Pfizer prevê 8,715 milhões de doses até junho; 32 milhões até setembro; e 59,285 milhões até dezembro — no total, 100 milhões de doses. Já a proposta da Janssen seria de fornecimento de 38 milhões de doses do imunizante de dose única no segundo semestre. Vale lembrar que a vacina da Pfizer é a única que tem registro definitivo aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). E a da Janssen recebeu aprovação de autoridades sanitárias de outros países. Fonte: G1

País já recuperou 89% da perda do PIB provocada pela pandemia, mas retomada não deve ganhar ritmo

O Brasil já conseguiu recuperar boa parte da perda do Produto Interno Bruto (PIB) desde o início da recessão provocada pela pandemia, mas com o seu agravamento no país não deve permitir uma melhora no ritmo da retomada. No fim de 2020, o Brasil já tinha recomposto 89,1% da perda do PIB em relação segundo trimestre, quando a economia despencou 9,7% e marcou o pior momento da crise atual, de acordo com um levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV). Em todo o ano passado, o PIB do Brasil recuou 4,1%, a maior queda desde o início da série histórica atual do IBGE, iniciada em 1996. Segundo o Comitê de Datação de Ciclos Econômicos (Codace), também da FGV, a economia brasileira está em recessão desde o primeiro trimestre do ano passado. Fonte: G1

WhatsApp libera chamadas de voz e vídeo pelo computador

O WhatsApp liberou chamadas de voz e vídeo pelo computador, por meio dos aplicativos para Windows e Mac. A ferramenta, no entanto, não funciona no WhatsApp Web, que é aberto pelo navegador do computador. É preciso baixar o aplicativo para o computador. Fonte: G1

Senado aprova PEC Emergencial em 1º turno; proposta viabiliza auxílio emergencial

O Senado aprovou em 1º turno a proposta de emenda à Constituição conhecida como PEC Emergencial. A proposta prevê uma série de medidas que podem ser adotadas em caso de descumprimento do teto de gastos, regra que limita o aumento dos gastos da União à inflação do ano anterior. O texto também viabiliza a retomada do auxílio emergencial. Para concluir a votação, os senadores ainda precisam aprovar a PEC em segundo turno, marcado para esta quinta-feira (4). Se aprovado em dois turnos, o texto seguirá para a Câmara dos Deputados. Fonte: G1

Gestores de saúde recomendam lockdown de 14 dias no Vale do Taquari

Os gestores regionais de saúde recomendam um lockdown regional de 14 dias para reduzir a circulação do coronavírus no Vale do Taquari. A decisão foi tomada em reunião virtual realizada na tarde desta terça-feira (2) envolvendo representantes das comissões intergestoras das regiões Covid 29 e 30 do Modelo de Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul, compostas pela 16ª Coordenadoria Regional de Saúde, e secretários municipais de saúde do Vale do Taquari. A sugestão foi encaminhada a Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat) nesta quarta. Segundo a nota, a decisão de confinamento se deve ao “colapso da rede de saúde regional, com o aumento extraordinário do número de pessoas infectadas pelo coronavírus e a consequente ocupação de leitos clínicos e de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), bem como o adoecimento de profissionais de saúde com o seu devido afastamento e o risco de falta de insumos imprescindíveis na assistência, tanto em hospitais quanto nas unidades básicas de saúde”. A nota é assinada pelo coordenador da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde, Edgar Antonio Cerbaro. Segundo Cerbaro, o lockdown terá validade a partir do dia da sua aprovação, caso ocorra. Ele, no entanto, não soube explicar o que poderá e o que não poderá funcionar. Segundo o coordenador regional de saúde, estas definições caberão aos gestores dos municípios. RS

Produção e apresentação: Júlio César Lenhard.
Próxima edição: hoje, ao meio-dia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui