Governadores reagem a anúncio de Bolsonaro sobre vacina chinesa

Eduardo Leite cobrou decisão técnica e não política sobre a imunização.


0
Foto: Gustavo Mansur /Palácio Piratini/divulgação

O presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou na manhã desta quarta-feira (21) que não irá comprar doses da vacina Coronavac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac e produzida no Brasil pelo Instituto Butantan. No dia anterior, em reunião com os governadores os estados, o ministro da Saúde, Eduardo Pazzuelo, havia garantido a compra de 46 milhões de doses, com início da vacinação já em janeiro.

A notícia foi, inclusive, divulgada oficialmente pelo Ministério da Saúde em seu site e suas redes sociais. O anúncio inesperado de Bolsonaro gerou forte reação dos governadores. Na terça-feira, o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, divulgou vídeo comemorando o anúncio do governo federal. Nesta quarta-feira, se manifestou sobre a mudança de rumo das ações federais.

“A definição sobre a inclusão de vacinas contra o Covid-19 no Programa Nacional de Imunização deve ser feita com análise eminentemente técnica (e não política!), observando viabilidade, segurança e agilidade para atender a população”, afirmou no Twitter.

Na sequência, Leite divulgou um vídeo falando sobre a questão. “Temos instituições renomadas trabalhando sobre esse assunto, como a Fiocruz, o Instituto Butantan, e o que deve ser observado é a condição de segurança, a viabilidade técnica, e também a agilidade para disponibilizar essa vacina para imunizar a população. Ou seja, sem análises políticas. O importante é que seja tecnicamente decidido e viabilizado para a população o que ela precisa, que é a garantia de uma vacina segura e o mais rápido possível”, destacou o governador gaúcho.

Fonte: Jornal do Comércio/Juliano Tatsch

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui