Governo do Estado vai lançar consulta pública para definir retomada das aulas presenciais no Rio Grande do Sul

Reinício das atividades com alunos deve ocorrer por etapas, a partir de agosto.


0
Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini

O governador Eduardo Leite (PSDB) começou sua live periódica na tarde desta quinta-feira (25), transmitida via do Facebook, e que serve para atualizar as informações relacionadas à pandemia do novo coronavírus, lamentando o número emblemático de 500 mortes pela doença registradas no Rio Grande do Sul. A marca foi alcançada nesta quarta-feira (24)

“Gostaria de expressar nosso pesar às vítimas da Covid-19. Todos os esforços estão sendo feitos para que possamos evitar mais perdas de vidas. Poderiam ter sido mais vidas perdidas, não fosse o engajamento do povo gaúcho. A parceria com os empreendedores e empresários, mesmo que diminuindo suas rendas e nossa economia, eles entenderam e respeitaram as medidas de lockdown, tão necessárias para que possamos poupar viadas, através do distanciamento social”, disse.

Leite também falou sobre a relação do aumento brusco dos casos de coronavírus no estado, com a taxa de ocupação das Unidades de Tratamento Intensivo (UTI’s).

“Estamos com 71,5% dos leitos de UTI pelo Sistema único de Saúde (SUS) ocupados no Rio Grande do Sul. Desde o começo da pandemia, estamos mantendo esta taxa na casa dos 70%. Isso não significa que não estão havendo internações. Este percentual é fruto do nosso esforço em habilitar novos leitos de UTI nos nossos hospitais. Em maio, entre 15% e 18% dos internados eram pacientes Covid-19. Atualmente, são 30% de pessoas internadas em UTI’s, confirmadas ou com suspeita de coronavírus. São 295 pacientes que testaram positivo para a doença em UTI’s”, revelou o mandatário.

Eduardo Leite anunciou a habilitação de novos leitos de UTI e prometeu dobrar o número unidades de terapia intensiva. “Já organizamos 624 leitos da rede SUS adulto em vários municípios. Vamos habilitar 33 leitos nos próximos dias. Eram 953 leitos em abril e vamos chegar a 1,9 mil. Um incremento de mais de 100%. Se não tivéssemos trabalho para aumentar a oferta de leitos, hoje estaríamos beirando os 100% de ocupação nos hospitais gaúchos”, relatou.

Por outro lado, reiterou que as medidas de proteção precisam continuar a serem observadas. “Uso de máscara e etiqueta respiratória continuam sendo fundamentais para evitar a rápida disseminação do vírus. No caso de um aumento muito rápido da demanda, não tem rede hospitalar no mundo que suporte”, alertou.

A secretária estadual de Saúde do Arita Bergmann, também participou da transmissão. Ela detalhou mais ampliações da rede pública de saúde. Vamos habilitar mais 59 novos leitos da UTI e vamos encaminhar para o Ministério da Saúde a vinda de 125 respirados respiradores para hospitais que tem toda a estrutura já organizada e demais equipamentos. O RS é um estado que atendeu seu plano de contingência e vamos fechar o número de leitos necessários para a população tenha acesso ao tratamento necessário”, antecipou.

No Vale do Taquari, serão habilitados com novos leitos os hospitais Estrela, de Estrela, com dez leitos; Bruno Born de Lajeado, dez leitos; Santa Terezinha de Encantado, cinco leitos, e São José de Taquari, dez leitos.

O governador também anunciou o credenciamento de três hospitais para atender pelo IPE Saúde, convênio que abrange os servidores públicos. Duas casas de saúde são do Vale do Taquari: o Hospital Ouro Branco de Teutônia e o Hospital Catelli de Anta Gorda, além do Hospital Porto Alegre, da Capital . A medida vai injetar recursos que ampliam o suporte para usuários do plano neste momento de pandemia, além de gerar recursos para os hospitais, de acordo com o governador.

A partir das 18h desta sexta-feira (26), haverá a atualização do mapa das bandeiras do programa de Distanciamento Controlado, que até então vinha sendo feito sempre aos sábados. A medida visa possibilitar aos prefeitos um prazo de recurso das definições do estado. Os questionamentos devem ser remetidos ao gabinete de crise até às 8h do domingo. Durante o dia, haverá análise dos eventuais recursos e segunda-feira, o anúncio final das bandeiras.

Por fim, o governador falou sobre o retorno das aulas presenciais. Ele descartou a retomada das atividades com alunos no começo de julho. A possibilidade mais provável, no momento, é recomeçar o ano letivo para todas as redes de ensino no mês de agosto. “Vamos apresentar na live da segunda-feira (29) uma consulta pública digital, que deverá ser respondida por entidades da educação e assistência social. Serão cerca de três mil entidades participantes, dos setores público e privado. Queremos que eles nos sugiram de que forma deve ser feito o retorno por etapas da educação. O mais provável é que deixaremos para voltar com aulas presencias no mês de agosto. Vamos entrar em julho, mês de mais demanda de doenças respiratórias, o que sugere maior cautela”, revelou. LF

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui