Governo do RS vai permitir retomada de serviços não essenciais na próxima segunda

Anúncio foi feito pelo presidente da Assembleia Legislativa, Gabriel Souza, após reunião com o governador Eduardo Leite


0
Foto: Guilherme Almeida

A partir da próxima segunda-feira, o Rio Grande do Sul retomará o modelo de cogestão no Distanciamento Controlado – em que os prefeitos podem adotar medidas menos restritivas que as estaduais – e permitirá que os serviços não essenciais voltem a funcionar. Esses estabelecimentos estão há quase três semanas fechados pelo alto nível de internações nos hospitais. O anúncio foi feito pelo presidente da Assembleia Legislativa, Gabriel Souza, após reunião com o governador Eduardo Leite e membros do Comitê Científico, na noite desta terça-feira. A reabertura do comércio não essencial, a partir da próxima semana, poderá ocorrer de 2ª a 6ª feira, até às 20h (entrada até às 19h).

Restaurantes, bares e lanchonetes poderão atuar sem restrição de dias, até às 17h (entrada até 16h) e hotéis e alojamentos com lotação máxima de 50% (com Selo Turismo Responsável) e 30% (sem Selo Turismo Responsável). O governador também anunciou novas medidas econômicas, com linhas de crédito nos bancos BRDE, Badesul e Banrisul. A restrição de atividades todos os dias entre 20h e 5h está mantida até 30 de março. Na reunião, representantes do setor de bares e restaurantes ouviram que, conforme avaliação, há a possibilidade de retomada a partir de 1º de abril.

Apesar dos números de mortes estarem avançando – a Secretaria Estadual de Saúde (SES) registrou novo recorde de óbitos pela Covid-19 no RS – e o sistema de saúde seguir operando acima de 100% de ocupação, as novas medidas estão sendo estudadas pelo Piratini. Na sexta-feira, o governador vai se reunir com os prefeitos, por meio da Famurs, para alinhar os próximos passos para a reabertura do comércio.

Conforme o presidente da Assembleia, a volta da cogestão se dará mediante a reformulação dos protocolos do modelo de Distanciamento Controlado. A tendência é de que a bandeira vermelha seja mais restritiva, de maneira a brecar flexibilizações exageradas. Além disso, o Executivo, segundo o deputado, se comprometeu a criar linhas de crédito com juros subsidiados através do BRDE, Badesul e Banrisul para auxiliar os empresários.

Fonte: Correio do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui