Governo exonera diretor de Logística da Saúde denunciado por suposta propina

Dias foi indicado ao cargo pelo líder do governo Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros


0
Foto: Anderson Riedel / Divulgação

O governo Bolsonaro exonerou, na noite desta terça-feira, o diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias. Ele foi denunciado por um representante de empresa que relatou ter sido pressionado por ele para pagar propina na compra da vacina Astrazeneca/Oxford. A confirmação sairá na edição do Diário Oficial da União desta quarta-feira. O presidente da CPI da Pandemia da Covid-19, senador Omar Aziz, afirmou que a Comissão irá convocar na sexta-feira o denunciante.

Luiz Paulo Dominguetti Pereira afirmou, para o jornal Folha de São Paulo, que representante do governo pediu propina de US$ 1 dólar por dose. Na ocasião da suposta cobrança, o Brasil já somava 250 mil mortes pela pandemia de Covid-19. Dias foi indicado ao cargo pelo líder do governo Bolsonaro na Câmara, Ricardo Barros.

A nomeação ocorreu ainda em 2019, na gestão de Luiz Henrique Mandetta. Barros foi nomeado pelo deputado Luis Miranda durante sessão da CPI. O líder do governo teria sido citado pelo presidente Bolsonaro como responsável na questão da Covaxin.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui