O convênio entre o governo municipal e o Hospital Bruno Born (HBB) para os atendimentos de urgência e emergência foi aprovado na última terça-feira (18).

Segundo o secretário da Saúde de Lajeado, Tovar Grandi Musskopf, o projeto aprovado na Câmara visa o atendimento de urgência e emergência nas especialidades médicas (traumatologia, psiquiatria, anestesiologia, pediatria, ginecologia e obstetrícia, cirurgia geral, radiologia e clínica médica). Ele explica que isso significa que o paciente que recebeu atendimento na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Lajeado e necessita de atendimento em uma dessas especialidades, vai poder se dirigir ao HBB para atendimento desses especialistas, que verificarão o que o paciente necessita. Além disso, casos de emergência como acidentes, terão de prontidão esses atendimentos, caso for necessário.

Musskopf destaca que isso não altera a ordem de atendimentos. “Qualquer pessoa deve seguir até a UPA para uma primeira avaliação. Caso a equipe da UPA verifique que alguma patologia/doença não consegue ser resolvida na UPA, o paciente será encaminhado para o HBB”, frisa.


ouça a entrevista


O convênio entre o governo municipal e HBB para a manutenção dos plantões médicos do Setor de Emergência venceu em 31 de março. No dia 3 deste mês, o Legislativo recebeu o projeto de lei solicitando autorização para renovação. O valor mensal estipulado passa de R$ 300 mil para R$ 321,8 mil. Existem mais R$80 mil variáveis para melhor atendimento ao paciente. O valor é recebido conforme o número de atendimentos realizados.

O secretário comenta ainda que a demora no atendimento varia conforme a urgência do caso. Ele explica que na UPA são quatro médicos durante o dia, e dois a noite, enquanto no HBB o número chega a cair pela metade, por isso o recomendado é ir até a UPA. KO


O que prevê o convênio

– O governo pagará a título de complementação nos serviços hospitalares de internação cirúrgica e clínica (AIH) R$ 900 por internação, no valor máximo mensal de R$ 80 mil;

– O HBB realizará atendimento nas especialidades com demanda variável mensal de até R$ 36,7 mil, conforme ocorrências de urgência e emergência sob a regulação da Secretaria da Saúde, desde que exista profissionais médicos para a prestação dos serviços;

– Procedimento de endoscopia digestiva será subvencionado ao valor fixo de R$ 1,5 mil, limitando-se a cinco procedimentos por mês, totalizando R$ 7,5 mil mensais;

– Procedimento de urologia e de bucomaxilofacial, no total de até cinco procedimentos por mês, para cada especialidade, no valor unitário de uma AIH fornecida pelo município, complementada de modo unitário, em R$ 1,5 mil, totalizando o limite de complementação em R$ 15 mil mensais;

– Atendimento de paciente vítima de AVC, quando houver o uso do medicamento Actilyse®, será remunerado no valor unitário de R$ 2,6 mil (duas ampolas), limitando-se a dois procedimentos por mês, totalizando R$ 5,2 mil;

– Procedimento ou o uso de medicamento e de OPME (órtese, prótese e material especial), quando não coberto pelo SUS, a complementação da AIH será negociada entre o governo e o HBB de modo individualizado, limitando-se o valor da complementação unitária de R$ 1,5 mil e a R$ 9 mil mensais.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui