História da feijoada, um prato brasileiro?

“A feijoada não é essencialmente brasileira, e sim uma adaptação e ‘tupiniquinzação’ da gastronomia europeia”, lembra Marcos Frank, médico e gourmet.


1
Foto: Ilustrativa

A feijoada ainda carrega uma forte mitologia. Por muito tempo se considerava que a feijoada seria um prato “inventado” nas senzalas. Os escravos cozinhariam o feijão preto(originário) da América com os restos de carne que os senhores de engenho desprezavam. Segundo Câmara Cascudo, essa seria uma hipótese absurda. Os portugueses não desprezavam essas carnes. E o que os escravos comiam era basicamente feijão com farinha.


ouça o quadro

 


O que podemos dizer com certeza é que a feijoada é uma variação de um prato bem antigo típico europeu, que tem como base a mistura de tipos diferentes de carne, com legumes e verduras, e varia de região em região. O “Cassoulet” na França, o tradicional cozido em Portugal, o “Casoeula” na Itália e o “Puchero” na Espanha são alguns exemplos dessa mistura.

Os portugueses foram os responsáveis por trazer ao Brasil a técnica e a combinação do cozido com carnes, que com o passar do tempo e evolução dos costumes, teve o nosso feijão acrescentado.

A feijoada (prato com técnica europeia, similar aos vários tipos de cozidos, como os de Portugal, Espanha, França, e outros) teria se desenvolvido no final do século XIX, em restaurantes cariocas.

Posteriormente, a feijoada foi tratada como símbolo do Brasil, reunindo (miticamente) índios, portugueses e africanos em sua origem, consistindo num dos mitos raciais e de miscigenação brasileiros.

Resumindo: a feijoada não é essencialmente brasileira, e sim uma adaptação e “tupiniquinzação” da gastronomia europeia.

Os acompanhamentos como arroz, farofa, couve, laranja e torresmo foram sendo acrescentados ao prato com o passar do tempo.

Por possuirmos uma culinária bastante regionalizada, existem algumas variações de feijoada dentro do próprio Brasil.

Alguns estados usam o feijão mulatinho em vez do feijão preto, já outros preferem o uso da carne fresca ao invés das carnes maturadas (como a carne seca e carne de sol).

Partes do porco, como o rabo, a orelha, a língua e o pé, também são comuns no preparo desse prato. Uma curiosidade é que essas partes, consideradas menos nobres por nós, na verdade eram bastante apreciadas pelos europeus.

E você pensa que acabou por aí? Já existem diversas receitas de feijoada vegana, com linguiças vegetais, tofu defumado e legumes diversos. Existem pessoas que escolhem fazer a feijoada vegetariana por ser uma opção menos calórica também. Ao comer a feijoada vegetariana, o risco de ganhar barriga é menor e você fica sem aquele peso na consciência de ter comido além da conta, colocando em cheque sua dieta.

Ingredientes 

  • 1 Kg de feijão preto
  • 100 g de carne seca
  • 70 g de orelha de porco
  • 70 g de rabo de porco
  • 70 g de pé de porco
  • 100 g de costelinha de porco
  • 50 g de lombo de porco
  • 100 g de paio
  • 150 g de lingüiça portuguesa

Tempero:

  • 2 cebolas grandes picadinhas
  • 1 maço de cebolinha verde picadinha
  • 3 folhas de louro
  • 6 dentes de alho
  • Pimenta do reino a gosto
  • 1 ou 2 laranjas

Modo de preparo

Coloque as carnes de molho por 12 horas ou mais, vá trocando a água várias vezes.

Coloque para cozinhar passo a passo: as carnes duras, em seguida as carnes moles.

Quando estiver mole coloque o feijão, e retire as carnes.

Finalmente, tempere o feijão com sal e pimenta-do-reino.

Por Marcos Frank, médico e gourmet. Confira as receitas na página do Instagram: @hungryp@2020!

1 comentário

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui