Histórico de pré-candidatos é requisito básico para o Partido Novo

Entre os objetivos está impedir que pessoas que buscaram auxílio emergencial de forma indevida concorram nas eleições de novembro.


0
Foto: Divulgação

O Partido Novo participou de seu primeiro processo eleitoral em nível municipal no ano de 2016. Na ocasião, elegeu quatro vereadores em todo o país. Para o pleito de novembro deste ano, o objetivo não é inflar o número de candidatos e fazer uma seleção minuciosa dos concorrentes. O presidente da sigla no Rio Grande do Sul, Alexandre Araldi, concedeu entrevista ao programa Encontro Maior da Rádio do Vale.


ouça a entrevista

 


Araldi explicou que há um processo seletivo para verificar a reputação e o histórico dos filiados. Dessa forma, uma das intenções é impedir que pessoas que buscaram o auxílio emergencial de R$ 600 de forma indevida concorram nas eleições de novembro. O dirigente, inclusive, citou que deve haver punição para criar a prática de bons exemplos à sociedade.

Segundo o presidente do Partido Novo, 13 mil servidores públicos gaúchos teriam requisitado o benefício sem terem o direito. No Brasil, o número ultrapassou 300 mil. Os valores repassados aos funcionários públicos de forma irregular chegam a R$ 223 milhões. GL

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui