Homem que postou gravação de mulheres fazendo ioga no Rio aparece em vídeo criticando Lei Maria da Penha

Empresário defende elaboração de lei que daria 'direito de enfiar a porrada nas mulheres'. Ricardo Roriz vai responder por incitação ao crime.


0
Foto: Reprodução

O empresário Ricardo Roriz, que é investigado por filmar e divulgar na internet vídeos que expõem mulheres praticando ioga na Lagoa Rodrigo de Freitas, Zona Sul do Rio – terá que prestar esclarecimentos em mais uma investigação da Polícia Civil. Desta vez, ele aparece em uma gravação criticando a Lei Maria da Penha.

A Lei Maria da Penha foi criada em 2006 para impedir que mulheres sejam vítimas de violência. Na gravação investigada pela polícia, Roriz diz que a lei seria a responsável por fazer com que as mulheres sejam “um bicho chato” e sugere a elaboração de lei que daria ‘direito de enfiar a porrada se ela [mulher] te encher o saco’.

A delegada responsável pelo inquérito, Valéria Aragão, afirmou que Ricardo Roriz irá responder por incitação ao crime de violência contra mulher pelo vídeo postado. O empresário tem cerca de 300 mil seguidores. Em depoimento, o empresário Ricardo Roriz, disse que suas publicações teriam finalidade “humorística”. Ele esteve presente para prestar esclarecimentos sobre um segundo registro de ocorrência feito por uma nova vítima, que teve um vídeo exposto na internet.

OAB-RJ emite nota de repúdio

A diretoria de Mulheres da Ordem dos Advogados no Brasil no Rio (OAB-RJ) repudiou o ato praticado pelos dois homens contra a advogada Mariana Maduro. A nota de repúdio foi divulgada nesta terça-feira (4) pelo órgão.

“É inacreditável que, em pleno ano de 2020, corpos femininos ainda sejam objetificados e sexualizados dessa forma, pouco importando para os ofensores as vontades de uma mulher. Não há mais espaço, em nossa sociedade, para que abusos e opressões continuem ocorrendo. Isso porque, atitudes como essa, perpetuam o não reconhecimento da mulher como indivíduo de direitos”, diz o posicionamento.

A nota foi assinada por três representantes de diferentes setores da OAB-RJ, são elas: a diretora de Mulheres da OAB-RJ, Marisa Gaudio; a presidente da comissão OAB Mulher RJ, Rebeca Servaes e a coordenadora do GT de Enfrentamento à Violência de Gênero da OAB Mulher RJ, Bianca Alves.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui