Hospitais de Estrela, Arroio do Meio e de Progresso podem ficar sem remédios do kit de intubação

Diretor geral de operações da Rede de Saúde Divina Providência que administra as instituições disse que há estoque somente para oito dias


1
Foto: Divulgação

Os hospitais dirigidos pela Rede de Saúde Divina Providência, um em Arroio do Meio, um em Estrela, outro em Progresso e dois em Porto Alegre, estão em alerta para uma possível falta de remédios do kit de intubação.

A informação foi confirmada pelo diretor geral de operações da rede, José Clóvis Soares. Ele fala que os hospitais possuem estoque para apenas oito dias. “Temos hoje um estoque na rede para sete ou oito dias. Estamos com dificuldade na reposição, fornecedores não estão nos atendendo e nem respondendo”, revela.

A rede de saúde possui ao todo 640 leitos, 350 deles para pacientes com coronavírus e 122 leitos de UTI. Conforme Soares, a preocupação é com os próximos dias. “Nos preocupa e nos assombra a possibilidade de faltar e não conseguir manter a assistência aos nossos pacientes”, desabafa.

Na terça-feira (16) a Secretaria da Saúde do Estado e Exército entregaram 35 mil medicamentos do kit intubação a 51 hospitais do RS, incluindo os cinco hospitais da Rede Divina de Providência. Já nesta quinta (18) o Estado enviou mais insumos para 30 casas de saúde. No entanto, o diretor fala que não foi suficiente. “O volume que o Estado repassou não atende a demanda, assim como ocorre em vários outros”, conta.

Segundo ele, cada paciente usa 10 ampolas por dia de um dos principais medicamentos, sendo 680 ampolas por dia e 20.400 por mês. Soares diz que o problema está nos fornecedores que não conseguem mais atender aos hospitais da rede. “A nossa rede tem uma gestão de suprimentos muito capacitada, vínhamos nos organizando para o aumento da demanda, mas o que ocorreu é que os fornecedores negaram pedidos e não reabasteceram. Não foi a questão do nosso planejamento e sim a falta do mercado”, declara.

Além disso, ele observa um expressivo aumento dos valores dos medicamentos do kit de intubação com o aumento das internações e define como oportunismo. “Temos medicamentos que custavam R$3,08 e agora custam R$17,45, outro que de R$12,58 passou para R$33,33. É um absurdo o oportunismo neste momento”, comenta.
Conforme o diretor, nesta sexta-feira (19) eram quatro pessoas entubadas no hospital São José de Arroio do Meio e no hospital Estrela seis entubados.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

1 comentário

  1. E lamentável essa cituacao toda ,como não bastasse temos na presidência da República um demente insano ,e ninguém faz nada se continuar assim ,não vai sobrar nada nosso país está indo água abaixo temos que retirar com urgência o Bolsonaro e seus filhos de qualquer tipo de poder

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui