Hospital de Putinga contará com usina para produção de oxigênio a partir desta sexta-feira

Prefeitura repassou cerca de R$ 162 mil para o investimento. Prefeito Fernando Gonçalves (PSD) chegou a buscar o insumo com carro próprio no início do mês


0
Usina com produção de oxigênio deve entrar em operação nesta sexta-feira (19) (Foto: Divulgação)

Para solucionar o problema com falta de oxigênio no Hospital Dr. Oscar Benévolo de Putinga, a prefeitura investiu R$ 162 mil na compra de uma usina que irá gerar oxigênio para casa de saúde. A instalação está em fase final e a produção deve começar nesta sexta-feira (19). Há um pouco mais de uma semana, um caso curioso chamou atenção no município, quando o prefeito Fernando Gonçalves (PSD) foi até Canoas, com carro próprio, buscar o insumo. Conforme a diretora do hospital, Regina Fachinetto, o consumo ainda segue muito alto no local e por isso a usina se faz tão necessária neste momento.


ouça a reportagem

 


O aumento de casos por contaminação do coronavírus, inclusive, pode ter ligação com as novas variantes do vírus, segundo a diretora. “A demanda de materiais e insumos aumentou e o oxigênio nos prejudicou em termos de logística. Nossa base é Canoas, então é preciso ir até lá, encher o caminhão e voltar para nos atender. Como muitos hospitais precisam do oxigênio, esse transporte as vezes é demorado”, explica. Foi por conta desse deslocamento que o prefeito do município foi acionado para ajudar na busca do insumo. “Foi muito prestativo, falei com ele de madrugada e ele foi buscar o oxigênio para nós”, destaca Regina.

Putinga tem uma população com cerca de 4 mil habitantes e, conforme dados da Secretaria Estadual de Saúde, contabiliza, até está quinta-feira (18), 513 casos confirmados de coronavírus e 13 óbitos. Segundo a diretora do hospital, foram registrados vários casos graves de pessoas que foram contaminadas pela Covid-19 no município desde o início da pandemia. “Essa usina vem de uma forma muito gratificante para o hospital e para comunidade de Putinga.”

Antes da aquisição da usina foi realizada uma reunião na Prefeitura de Putinga (Foto: Divulgação)

O Hospital Dr. Oscar Benévolo não conta com leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), porém, recebe pacientes que necessitam do uso de respiradores. Existe uma sala intermediária no hospital e todos os pacientes que precisam de leitos de UTI são cadastrados e permanecem em espera no local.

“As UTI’s estão superlotadas, o paciente precisa receber todo o apoio necessário com uso de oxigênio contínuo”, relata a diretora. Enquanto essas pessoas não são conduzidas aos leitos, a demanda pelo insumo fica cada vez maior. “Nós temos uma paciente entubada e para alguém que está nesta condição o oxigênio vai muito mais rápido. Só essa madrugada foram quatro cilindros, a empresa que nos atende entregou 17 cilindros ontem e hoje já temos que ir atrás de mais, então vai muito oxigênio.”

Além da paciente entubada, o hospital está com dez internações de pessoas que passam por recuperação após contrair a Covid-19, sendo que a maioria faz o uso de oxigênio.

A empresa responsável pela instalação da usina é a Geraldo Daguer Pergher e opera na fase final para que o empreendimento possa entrar em operação. “Provavelmente amanhã (sexta-feira) ela já estará funcionando, o que vai acalmar nossos ânimos, porque é realmente o que está nos gerando problema: o fato de não ter oxigênio tão rápido e a gente ter que ir atrás buscar” reforça. Além da aquisição do sistema de geração de oxigênio e ar comprimido medicinais, a Prefeitura de Putinga também investiu na rede de canalização de distribuição do oxigênio.

Assim que entrar em funcionamento a usina, o hospital não terá mais problemas com falta de oxigênio (Foto: Divulgação)

Prefeito de forma interina

O prefeito em exercício de Putinga, Fernando Gonçalves, assumiu o cargo de forma interina em janeiro deste ano, após o prefeito eleito da cidade, Claudiomiro Cenci (PP), e seu vice, Paulo Lima (PP), terem a posse cassada. Gonçalves era o atual presidente da Câmara de Vereadores e acabou assumindo o executivo, sendo que esta foi a primeira vez que concorreu a um cargo eletivo, com mandato de 2021 a 2024. Já Cenci e Lima ainda aguarda decisão da Justiça Eleitoral.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui