Idoso que morava embaixo da ponte continua vivendo em condições precárias em Lajeado

"Como não tenho para onde ir, achei este lugar e agora quero viver aqui", diz José Nilson Wendt


0

Há dois meses um senhor que morava embaixo da ponte do Arroio Saraquá, entre os Bairros Centro e Conservas, na cidade de Lajeado, teve que deixar o local depois que um fogo atingiu seus pertences e a prefeitura o orientou a sair do local devido às condições precárias.

José Nilson Wendt, de 62 anos, é natural de Venâncio Aires, mas mora em Lajeado desde os seus dois anos. Separado e apesar de ser pai de três filhos, não tem para onde ir. “Meus filhos lutam para sobreviver e já possuem seus próprios problemas”, fala ele.

Após sair debaixo da ponte, Wendt caminhava pela Avenida Beira Rio, quando viu um mato fechado próximo do acesso a Rua Henrique Stein Filho, no Bairro Conservas. Foi então que entrou e fez deste lugar sua nova morada.

Apesar de ter trabalhado em várias empresas, Wendt não é aposentado e nem recebe qualquer tipo de auxílio. “Já fui muitas vezes na Assistência Social de Lajeado, mas não consigo nada por não ter endereço fixo”, lamenta ele.

Atualmente, sua receita vem do material reciclado que recolhe nas ruas e vende. As condições em que vive são precárias. Não possui banheiro, água e nem luz. “Durante a noite uso velas para poder enxergar”, fala José Nilson Wendt.

Texto: Joel Alves

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui