Indianos se casam com roupa de proteção depois de noiva ter diagnóstico positivo para a Covid

Cerimônia foi realizada dentro de um centro de quarentena no oeste da Índia, segundo autoridades de saúde; casamento não foi adiado, mas noivos e sacerdote usaram equipamentos de proteção individual.


0
Depois que a noiva testou positivo para a Covid, casamento indiano contou com EPIs para a proteção do noivo e de um sacerdote (Foto: ANI/Reuters TV)

Um casal indiano precisou fazer mudanças de última hora em seu casamento depois que a noiva recebeu um diagnóstico positivo para a Covid-19. Noivos e um sacerdote hindu trocaram as tradicionais vestes coloridas por roupas de proteção individual, com máscaras e face shields.

A cerimônia aconteceu no domingo (6), dentro de um centro de quarentena em Baran, no oeste da Índia, informaram as autoridades locais de saúde à agência de notícias Reuters. O nome do casal não foi divulgado.

Apesar da aparência de outro mundo, o casamento aconteceu quase todo como o planejado. Uma tenda colorida foi erguida em frente a uma fogueira sagrada e os apaixonados trocaram votos de amor e coroas de flores, como reza a tradição hindu.

Um sacerdote – que mais parecia um astronauta – oficializou a cerimônia entoando versos das escrituras sagradas. Enquanto isso, ao fundo, canções tradicionais de casamento eram tocadas em um rádio.

A noiva foi levada ao centro de quarentena para a Covid-19, depois que ela e um outro parente testaram positivo para a doença. Rajendra Meena, autoridade local de saúde, disse à agência de notícias ANI que a prática é padrão no país para tentar conter a propagação do novo coronavírus.

Os casamentos na Índia costumam ser bastante elaborados – e contam com a presença de muitos parentes e convidados em vários dias de celebração. No entanto, por conta da pandemia, muitos estados criaram leis que proibiram aglomerações e obrigaram que as cerimônias fossem restringidas.

A Índia tem o segundo maior número de casos Covid-19 do mundo com mais de 9,6 milhões de casos confirmados. O país asiático está atrás apenas dos Estados Unidos, que já têm mais de 14,9 milhões de infectados.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui