Brasil vai colher cerca de 102,3 milhões de toneladas de milho, 7,9% a menos que na safra passada

Confira o comentário do engenheiro agrônomo Nilo Cortez.


1
Foto: José Schafer / Divulgação

Milho (CONAB) – O Brasil vai colher ao redor de 102,3 milhões de toneladas, 7,9% a menos que na safra passada. Será preciso mais 10% de milho para atender a demanda, principalmente de produção de carnes de aves e suínos. No RS teremos 28% de quebra nesta safra.

As previsões das empresas que atuam na comercialização dizem que o preço a ser pago pelo milho continuará em alta. Há quem diz que chegará a R$ 95,00 o saco. O Conselho Internacional de Grãos informa que a produção total mundial será de 13 milhões de toneladas a menos, principalmente entre os maiores produtores (EUA, Argentina e Brasil).

Assuntos do dia: abelhas x herbicidas 

É sabido que pequenos insetos são responsáveis por cerca de 85% da polinização das principais culturas. As abelhas com e sem ferrão polinizam cerca de 42% das 57 espécies vegetais mais plantadas no mundo.

Foto: Ilustrativa / Divulgação

Por outro lado, a produção de grãos, principalmente nas áreas maiores e boa parte de áreas da agricultura familiar, usam herbicidas para controle de inços. Ora por extensão de terra, ora por falta e custos de mão de obra. E ainda a idade avançada de alguns agricultores fazem com que adotem esta prática. E os noticiários trazem seguidamente os estragos feitos pelo agrotóxico (herbicidas) com a mortandade de milhões de abelhas. Está criado a luta “abelhas x herbicidas”.

Aqui no RS, a fruticultura é umas das mais atingidas pela deriva de herbicidas, oliveiras e uva sentem diretamente o efeito. Além ainda da perda por polinização, que também atinge outras culturas como feijão, girassol, goiaba, maracujá, pepino, melancia, abacate, todas as rosáceas e por aí vai. E a principal cultura do estado tem sido o pavio aceso para este combate. As abelhas visitam as flores e acabam morrendo. E lembro que a abelha vive 40 dias em média visita 1000 flores e produz uma colherinha de chá de mel.

Olhando de forma, otimista as coisas estão mudando lentamente e de forma positiva para ambos os lados. A boa florada da soja e a polinização das abelhas faz aumentar cerca de 10% a produtividade. Também se nota o aumento de produção de mel. Há problemas localizados que precisam ser atacados e resolvidos. Se no passado ia de qualquer jeito, agora já há coragem de denunciar os abusos. A imprensa divulga, a fiscalização bate, o laboratório analisa e se abre processos.

Foto: Ilustrativa / Divulgação

Talvez a parte mais importante é o diálogo entre as partes. E isso pode ser facilitado pela extensão rural que tem conhecimento de como reunir e dialogar. E ainda os conhecimentos das boas práticas agrícolas de manejo, aplicação de agrotóxicos e boas práticas apícolas. Há técnicas que podem ser adotadas com ganhos para os dois lados. Há protocolo para aplicação de agrotóxicos e também para a apicultura. Seguir as normas já é um bom início.

Eventos e calendário agrícola

Voltou a chuva e é possível iniciar o preparo do jardim e horta para plantios de março. Retirada de inços arrancando depois das pancadas chuvas. Retirar galhos secos e quebrados inclusive de frutíferas. Catar frutas caídas no chão (mosca das frutas). Revirar o solo e colocar esterco bem curtido, compostagem e ou húmus para receber as mudas mais adiante.  O que estiver plantado ou vai ser plantado, não se descuidar da irrigação. E quando molhar?

Há duas formas: uma ao amanhecer antes do sol esquentar. Teria o dia inteiro para evaporar o excesso. E outra seria ao anoitecer com o sol se pondo. Se desperdiça menos água e tem a noite inteira para penetrar no solo. Eu prefiro a segunda no verão e a anterior no inverno.

Por Nilo Cortez 

1 comentário

  1. Gostaria de comentar uma confusão em: “Assuntos do dia: abelhas x herbicidas”. Houve uma “mistura” de dois problemas. Há a mortalidade de abelhas por uso de agrotóxicos inseticidas e não agrotóxicos herbicidas (estes afetaram as parreiras e outras frutíferas, além de hortaliças). Em ambos, a causa está no uso inadequado desses agrotóxicos: Com muito vento; horário, bicos de aplicação e calibração do pulverizador inadequados; baixa umidade do ar. A aplicação de agrotóxicos é uma atividade que envolve técnica, devido a utilizar produtos venenosos, com potencial de afetar negativamente fauna, flora e pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui