Inmet prevê chuvas e temperaturas irregulares devido a La Niña

Confira as informações do programa Correspondente Independente das 18h


0
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê que, durante a primavera, que começa amanhã (22), os efeitos do fenômeno climático La Niña se farão sentir moderadamente em parte do Brasil, podendo afetar a regularidade das chuvas, principalmente na faixa centro-norte do país. “Estamos esperando [a ocorrência do] La Niña durante a primavera, mas [o fenômeno] deverá ser de curta duração e não muito intenso”, disse, hoje (21), a coordenadora de Meteorologia Aplicada, Desenvolvimento e Pesquisa do Inmet, Márcia dos Santos Seabra, durante evento virtual em que o instituto, vinculado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), tratou das perspectivas climáticas para a primavera deste ano. Segundo a meteorologista, a probabilidade de que algumas condições climáticas associadas a La Niña ocorram durante a primavera é de 70%. E a tendência para o quarto trimestre do ano é que o volume de chuvas supere a média histórica em boa parte das regiões Centro-Oeste e Norte do país, mas fique abaixo da média na Região Sul e em partes de São Paulo e de Mato Grosso do Sul, principalmente durante os meses de outubro e novembro, período em que a irregularidade das chuvas tende a ser maior. Já para a Região Nordeste, a previsão para a primavera indica chuvas iguais ou superiores à média histórica, com exceção de algumas localidades do sudeste do Piauí e do norte da Bahia, onde a precipitação pode ser abaixo da médica histórica da estação.

Ainda de acordo com Márcia, em novembro, a temperatura média deve ficar ligeiramente abaixo da média histórica em áreas da Região Sudeste e do leste da Bahia, o que também pode ocorrer no Amazonas, em dezembro. Ainda assim, em grande parte do restante do país, a temperatura deve ficar dentro da faixa normal, principalmente na região do Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia).

O prognóstico, no entanto, depende da combinação de uma série de fatores capazes de influenciar o regime de chuvas, como as temperaturas na superfície do Oceano Atlântico, em particular na área oceânica próxima à costa do Uruguai e da região Sul do Brasil.

Menos chuvas

Embora seja um período de transição entre as estações seca e chuvosa no setor central brasileiro, uma menor precipitação pluviométrica vem sendo registrada ano após ano, já há muito tempo, conforme apontou a meteorologista. “Desde 1961, durante a primavera, o volume de chuvas vem caindo em todo o Brasil. Essa tendência se acentuou a partir dos anos 2000, principalmente nas regiões Sudeste e Centro-Oeste”, acrescentou Márcia, destacando as consequências dessa situação para a Bacia do Rio Paraná, que abrange seis estados (Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina e São Paulo), além do Distrito Federal, atende a cerca de 70 milhões de brasileiros e abastece a diversos grandes reservatórios d´água da região mais industrializada do país, incluindo Itaipu. Fonte: Agência Brasil

RS registra dez óbitos e 449 novos casos de covid nesta terça-feira

O Rio Grande do Sul registra nesta terça-feira (21), dez óbitos e 449 novos casos de covid. Agora, o Estado chega a um total de 1.429.276 casos confirmados. Desses, 1.389.445 são considerados recuperados (97,2%); em acompanhamento, 5.120 casos ativos (0,3%); e 34.617 morreram em decorrência do coronavírus (2,4%). Às 17h desta terça-feira (21), 56,5% dos leitos de UTI do estado estavam ocupados. Eram 1.886 pacientes para 3.301 leitos disponíveis. RC

Ministro chama senadora de ‘descontrolada’, gera tumulto e se torna investigado pela CPI

O ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, chamou a senadora Simone Tebet (MDB-MS) de “descontrolada” durante reunião da CPI da Covid nesta terça-feira (21). A fala de Rosário gerou tumulto entre os senadores e o ministro deixou a sessão. Logo depois, a pedido do presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), o relator da comissão, Renan Calheiros (MDB-AL), converteu a condição do ministro de testemunha para investigado. Rosário fez a declaração após Tebet criticar a postura do ministro em relação ao presidente Jair Bolsonaro e ao processo de aquisição pelo governo federal da vacina Covaxin. A senadora afirmou, durante sua fala, que “a CGU não foi criada para ser órgão de defesa de ninguém”, sugerindo que Rosário atua para atender a interesses do presidente Jair Bolsonaro. “Temos um controlador que passa pano, deixa as coisas acontecer”, afirmou a ela. Tebet afirmou ainda que foram usados documentos falsos no contrato para a aquisição da Covaxin, que não foram detectados pela CGU. De acordo com ela, das três versões de invoice (nota fiscal de importação) que teriam sido elaboradas, apenas a primeira era verdadeira – o documento cobrava um pagamento antecipado de US$ 45 milhões, o que não estava previsto em contrato, com benefício para uma empresa localizada em Singapura. A CPI apura se esse dinheiro seria desviado do contrato. Fonte: G1

Pesquisa revela que 45% dos gaúchos perderam mais da metade da renda na pandemia

Uma pesquisa encomendada pela Assembleia Legislativa do RS identificou que 45% dos gaúchos estão vivendo com menos da metade da renda que tinham antes da pandemia. Este e outros indicadores sobre o agravamento da condição social no Rio Grande do Sul serão divulgados nesta quarta-feira (22), às 14h, em transmissão ao vivo. O estudo, realizado pelo Instituto Pesquisas de Opinião (IPO), ouviu 1.500 pessoas, em todas as regiões do Estado, para identificar as principais percepções sobre o cenário e sobre a elaboração de políticas públicas de combate à desigualdade social.

Bolsonaro faz discurso de abertura da Assembleia da ONU nesta terça

O presidente da República Jair Bolsonaro fez o discurso inaugural da 76ª Assembleia Geral das Nações Unidas na manhã desta terça-feira (21). No evento, tradicionalmente, o líder de governo brasileiro é o primeiro a falar. O presidente brasileiro defendeu a adoção do chamado tratamento precoce contra a Covid-19, destacou o desempenho da economia brasileira durante o seu governo e exaltou a política ambiental do país. Em seu discurso na ONU, Bolsonaro ainda garantiu a vacinação total contra Covid-19 até novembro. Fonte: Correio do Povo/R7

RS distribuirá doses de Pfizer para avançar na vacinação dos adolescentes

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) e o Conselho das Secretarias Municipais decidiram, nesta terça-feira, manter a vacinação da Covid-19 em adolescentes contra a Covid-19. De acordo com a pasta, esse é um dos públicos a serem atendidos com as mais de um milhão doses de Pfizer, AstraZeneca e Coronavac que serão entregues pela SES nesta quarta-feira (22) a todos municípios. “Importante destacar que só a Pfizer está autorizada para os adolescentes, e somente vacinas dessa marca estão sendo distribuídas para esse público”, alerta a secretária da Saúde, Arita Bergmann. A proposta aprovada com a representação dos municípios foi de destinar 350 mil doses dessa remessa para primeiras doses, incluindo cerca de 165 mil de Pfizer para cobrir a totalidade da faixa dos 17 anos e 58% da faixa dos 16 anos. Essas idades podem variar de cidade para cidade conforme o avanço da campanha e a disponibilidade de doses. Fonte: Correio do Povo

Talibã anuncia mais nomes e mantém governo 100% masculino

O Talibã anunciou mais nomes do seu governo no Afeganistão nesta terça-feira (21) e manteve um alto escalão 100% masculino. A primeira parte do governo havia sido anunciada no dia 7, apenas com líderes históricos do grupo extremista. O governo é composto apenas por homens e não há mais um ministério dedicado às mulheres, ao contrário do que ocorria no governo anterior, derrubado pelo Talibã. Além disso, o porta-voz do grupo extremista, Zabihullah Mujahid, afirmou que as alunas do ensino médio poderão voltar a estudar “assim que possível”. As meninas não foram autorizadas a retornar à escola no sábado (18), ao contrário dos meninos, o que gerou críticas dentro e fora do país. Fonte: G1

Argentina flexibiliza máscaras ao ar livre e reabrirá para brasileiros

O governo argentino anunciou hoje (21) que abrirá as fronteiras para viajantes de países vizinhos, incluindo o Brasil, a partir de 1º de outubro. Na mesma data, o país deixará de exigir o uso de máscaras em espaços abertos sem aglomeração de pessoas, entre outras medidas de flexibilização de regras sanitárias. Pelo anúncio oficial, a partir de 24 de setembro os argentinos, residentes e estrangeiros com autorização de emais estrangeiros. Fonte: Agência Brasil

Produção e apresentação: Rita de Cássia

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui