Inter faz planejamento para semana Gre-Nal e pode poupar titulares contra o Corinthians

Montagem do time que enfrentará o Corinthians, amanhã, levará em consideração as necessidades do Gre-Nal de sábado


0

Todos os jogos do Campeonato Brasileiro valem três pontos, mas o Gre-Nal tem repercussões extras. Ciente disso, o Inter tratará o clássico deste sábado, no estádio Couto Pereira, de forma diferenciada. Eduardo Coudet ainda está montando a estratégia, mas é quase certo que ele preservará alguns jogadores na partida contra o Corinthians, amanhã, no estádio da Ressacada, para dar força total na partida contra o Grêmio. Afinal, se por um lado, o clássico tem o poder de trazer a redenção, por outro, pode desencadear uma crise.

“O período de descanso é muito curto entre este jogo e o próximo. Vamos chegar de madrugada em Porto Alegre, tentar recuperar e depois (hoje), viajar para Florianópolis”, lamentou o técnico, ainda no Barradão, após a derrota para o Vitória, por 2 a 1, com um gol nos acréscimos. “Vamos preparar da melhor forma para esses jogos, buscando ganhar sempre. Sabemos que o Corinthians é um rival muito duro. Sigo acreditando que podemos ganhar jogos”, continua.

O planejamento ainda está sendo finalizado, mas é provável que a delegação não regresse a Porto Alegre após o jogo contra o Corinthians, independentemente do resultado. Em princípio, segue na capital catarinense até a véspera do Gre-Nal, quando vai a Curitiba. Assim, evita as viagens e diminui o cansaço dos jogadores. Até porque o número de desfalques já é muito grande para ambos os compromissos.

Além de Borré, Valencia e Rochet, todos convocados para a Copa América, Coudet não contará com Vitão, que recebeu o terceiro amarelo e está fora do jogo contra o Corinthians. Em princípio, Igor Gomes, Mercado ou Fernando, improvisado como zagueiro, são opções.

Aliás, um outro ingrediente dos dois jogos são os pendurados. Bustos, Fernando e Wesley têm dois cartões amarelos e, se forem mais uma vez punidos contra o Corinthians, ficam fora do clássico. “Temos de melhorar, dar mais ritmo a quem joga menos. E só se pega jogando. Aqui (contra o Vitória), comecei com jogadores que faltam ritmo, sem 100% das condições. Não é só uma decisão esportiva, mas também médica”, finaliza. Fonte: Correio do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui