“Investir em inovação é investir no futuro”, afirma secretário de inovação do Estado

Alsones Balestrin foi o palestrante da reunião-almoço da Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil) nesta terça-feira (19)


0
Secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Alsones Balestrin (Foto: Nícolas Horn)

Investir em inovação é investir no futuro. Assim definiu o secretário de Inovação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul, Alsones Balestrin, em reunião-almoço da Associação Comercial e Industrial de Lajeado (Acil) nesta terça-feira (19). O evento contou com a participação de integrantes do Pro_Move Lajeado.

Em razão de uma agenda com o governador do estado Ranolfo Vieira Júnior em Porto Alegre para a divulgação do South Summit, evento global de inovação que ocorre entre os dias 4 a 6, a fala do secretário foi reduzida para 20 minutos.


ouça a reportagem

 


Nesse tempo, Balestrin destacou a transformação digital que vem ocorrendo para o que chamou de economia do conhecimento. “Estamos saindo de uma economia focada nos músculos para uma economia focada no cérebro. Não existe inovação se não existir formação de pessoas. É preciso transformar o conhecimento em tecnologia. Um produto só se transforma em inovação se alguém comprar e tiver utilidade. Quem vai dizer o que é inovação não é a empresa é o mercado”, resume.

A secretária adjunta de Inovação, Ciência e Tecnologia do RS, Simone Stülp, deu sequência à reunião-almoço. Ela destacou o Programa Inova RS, que tem o objetivo de trabalhar o estado como um grande ecossistema de inovação a partir de oito ecossistemas regionais de educação. Simone ainda reforçou a necessidade em difundir e fazer com que todos compreendam as necessidades e possibilidades de incorporar a inovação no dia a dia dos municípios e das empresas.

Secretária adjunta de Inovação, Ciência e Tecnologia, Simone Stülp. (Foto: Nícolas Horn)

“Para isso é preciso ter momentos de discussão sobre o tema. Outra forma é criar espaços de capacitação, pra que os termos que envolvem a inovação possam ser compreendidos e diferentes públicos da cidade possam se aproximar. Também a existência de políticas públicas que façam com que as pessoas verifiquem que há possibilidades de encaminhar projetos para que a inovação possa acontecer nos diferentes ambientes. E ainda a inserção deste tipo de conteúdo nas escolas, para que os alunos já saiam com essa formação preparada para este novo mundo”, comenta.

Ao final do evento, lideranças do Pro_Move apresentaram a conquista pelo movimento do Prêmio Nacional de Inovação (PNI) na categoria ecossistema em desenvolvimento e as entregas do relatório atualizado da fundação Certi e do diagnóstico e plano de trabalho do grupo do Varejo.

Texto: Nícolas Horn
nicolas@independente,com.br

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui