Ipê Amarelo repassa R$ 25 mil para Aespro; valor será usado na construção do novo prédio da BM em Estrela

Investimento total da obra está previsto em mais de R$ 1 milhão. Recurso entregue nesta quarta-feira (28) foi o primeiro repasse, além de terreno doado pela prefeitura


0
Diretor geral do Ipê Amarelo, Giuliano Valduga (d) fez a entrega ao presidente da Aespro, Rodrigo Tomasi (Foto: Gabriela Hautrive)

A Associação Estrelense Pró-Segurança Pública (Aespro) recebeu na manhã desta quarta-feira (28), por parte do Instituto Cultural Ipê Amarelo, o repasse de R$ 25.124,49. O valor é o primeiro recurso financeiro destinado para a obra de construção do novo prédio da Brigada Militar (BM) de Estrela. O espaço já recebeu a doação de um terreno da Prefeitura de Estrela, localizado na área central da cidade, próximo ao antigo prédio da Polar. Conforme o presidente da Aespro, Rodrigo Tomasi, o investimento total da obra está previsto em mais de R$ 1 milhão, porém, o projeto ainda está em processo de elaboração.

Tomasi informa que o atual endereço do prédio da BM, na Rua Coronel Brito, no Centro de Estrela, é afetado pela água em época de cheia no Rio Taquari, e por isso o projeto prioritário neste momento é para construção de uma nova sede. “Diante disso buscamos soluções para melhorar a situação, conversamos com o prefeito, então já temos a área e primeiro aporte de R$ 25 mil”, relata. O próximo passo é buscar junto aos empresários e comunidade de Estrela os demais valores para realização do projeto. “Fazer uma obra grandiosa, ter um batalhão em plenas condições de atuar em Estrela e diminuir a criminalidade”, pondera.

O presidente informa que não há uma data definida para conclusão do empreendimento, mas que o “start” já foi dado. “Temos o objetivo de construir o mais rápido possível, vai depender dos recursos da comunidade que nos apoia, dos empresários e das entidades que podem fazer repasses para nós”, relata. Sobre os R$ 25 mil da Aespro, o diretor geral do Ipê Amarelo, Giuliano Valduga, explica que o valor foi arrecadado através de uma rifa e de um jantar realizados em Estrela e região, em 2020, visando atender as demandas das forças de segurança das comunidades do Vale do Taquari, envolvidas na captação dos recursos e implementação da Força Tática na área de abrangência do 40º Batalhão de Polícia Militar.

Ao todo, na as ações foram obtidos R$ 181.350 mil, valor que segundo o compromisso firmado pelo Ipê Amarelo na época, era para implementar uma Força Tática da BM na região, porém houve uma sobra de recursos que seria destinada para implementação de uma segunda equipe da Força Tática, mas neste meio tempo foi criada a Aespro, e a destinação foi alterada, como explica Valduga. “Esta associação entendeu, ouvindo a comunidade, que havia uma maior urgência neste momento, que seria aplicar o recurso para uma nova sede do batalhão”.

O trabalho acontece em parceria com o poder público de Estrela, com destinação do terreno, seguido da solicitação para que o valor da sobra fosse repassado em formato de investimento na obra. “Entramos em consenso, tendo em vista a relevância dos motivos que a Aespro nos expôs e fizemos a reunião para formalizar o repasse do valor. Entendemos que desta forma estamos contribuindo também para a segurança da nossa região, especificamente no município de Estrela”, acrescenta o diretor geral do Ipê Amarelo.

Também participaram da reunião, realizada no Ministério Público de Lajeado na manhã desta quarta-feira (28), o diretor de projetos do Instituto Ipê Amarelo, André Kieling, o diretor de comunicações, Sandro Kist, o diretor de operações, Genaro Lazzaron, o associado Ronaldo Colnaghi, imprensa e demais autoridades. Empresários e comunidades que desejam contribuir com a construção do novo prédio da Brigada Militar de Estrela podem fazer doações entrando em contato com membros da Aespro ou policiamento do município.

Instituto Ipê Amarelo

O Instituto Ipê Amarelo foi lançado em julho de 2019 https://independente.com.br/com-a-proposta-de-aparelhar-policias-instituto-ipe-amarelo-e-lancado-em-lajeado/ O nome do projeto é em alusão ao ipê-amarelo, árvore símbolo de Lajeado desde 2015. A entidade tem como objetivo fortalecer a segurança pública no Vale do Taquari. A proposta foi inspirada no Instituto Cultural Floresta, de Porto Alegre. A iniciativa foi criada em 2016, durante uma crise na segurança pública na capital e na região Metropolitana.

Além de servir para incrementar a aparelhagem de segurança e melhorar a qualidade de vida da comunidade, o instituto contribui com a compra de equipamentos para os órgãos da polícia. Os empresários podem contribuir destinando até 5% do saldo devedor de ICMS para ser aplicado no Programa de Incentivo ao Aparelhamento da Segurança Pública do Rio Grande do Sul (Piseg/RS).

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui