Irlanda se torna 1º país da UE a retomar lockdown para conter covid-19

Bares, restaurantes e comércios não essenciais fecharão suas portas por pelo menos seis semanas. Escolas e creches, no entanto, permanecerão abertas.


0
Foto: Getty Images/iStockphoto

O governo irlandês decretou ontem um novo bloqueio nacional, que obriga os cidadãos a permanecerem em casa, na tentativa de conter a propagação do novo coronavírus. Com isso, a Irlanda se tornou o primeiro país da UE (União Europeia) a retomar o lockdown diante da segunda onda da covid-19 no continente.

Em pronunciamento televisivo, o primeiro-ministro da Irlanda, Micheal Martin, informou que bares, restaurantes e comércios não essenciais fecharão suas portas por pelo menos seis semanas. Os estabelecimentos só poderão fazer venda para viagem.

O novo confinamento, menos restrito que o imposto no início da pandemia de covid-19, entrará em vigor a partir da próxima quinta-feira (22). Escolas e creches, no entanto, permanecerão abertas. Reuniões familiares serão proibidas, assim como visitas a outras residências. Já o deslocamento não essencial, como passeios ou saídas de casa para exercícios físicos, serão limitados a um raio de cinco quilômetros.

Com isso, a população só poderá deixar sua região para trabalhar, estudar ou “por outros propósitos essenciais”, apesar de o governo incentivar o home office.

A expectativa do governo é de que as restrições sejam reduzidas até o início de dezembro para que a economia possa se recuperar durante o período das festas de fim de ano. “Estes são os tempos mais difíceis”, disse Martin em seu discurso.

A Irlanda, com menos de cinco milhões de habitantes, registra 1,8 mil mortos e 50,9 mil casos oficiais do novo coronavírus. Entre o último domingo (18) e ontem, porém, contabilizou mais mil novos casos da doença.

Fonte: UOL Internacional

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui