Israel x Gaza: o que explica nova troca de hostilidades três semanas após cessar-fogo

É o primeiro grande ataque desde o cessar-fogo entre israelenses e o Hamas em maio e desde a mudança de governo em Israel


0
Foto mostra edifícios em Gaza vistos de um avião de guerra antes de um ataque aéreo em 16 de junho de 2021 (Foto: IDF/Reuters)

Israel anunciou nesta quarta-feira (16) que realizou ataques aéreos em Gaza na noite passada, depois que palestinos lançaram balões incendiários do território, no primeiro grande ressurgimento de violência desde um conflito de 11 dias no mês passado.

Os militares israelenses disseram que tinham como alvo prédios pertencentes ao Hamas, o grupo militante que controla Gaza.

Os balões incendiários provocaram 20 incêndios no sul de Israel na terça-feira (15). O Hamas disse que os balões foram uma resposta a uma marcha de nacionalistas israelenses em Jerusalém Oriental.

Não houve vítimas em nenhum dos lados e a calma foi restaurada na manhã de quarta-feira.

O que sabemos sobre os ataques?

Em um comunicado, as Forças de Defesa de Israel (IDF) disseram que seus aviões de combate atingiram complexos militares operados pelo Hamas em Khan Younis e na Cidade de Gaza.

A nota diz que uma “atividade terrorista” ocorreu nos complexos, e que as IDF estavam “preparadas para todos os cenários, incluindo a retomada das hostilidades, em face dos contínuos atos de terror na Faixa de Gaza”.

Um porta-voz do Hamas disse no Twitter que os palestinos continuarão a perseguir sua “brava resistência e defender seus direitos e locais sagrados” em Jerusalém.

O IDF disse que os ataques foram realizados em resposta aos “balões incendiários lançados de Gaza para Israel”.

Nos últimos anos, os militantes frequentemente usaram balões e pipas carregando contêineres com combustível em chamas e artefatos explosivos pela fronteira de Gaza.

Os dispositivos causaram centenas de incêndios em Israel, queimando milhares de hectares de florestas e fazendas.

Os ataques aéreos foram os primeiros realizados sob o novo governo de Israel, que assumiu o poder no domingo e encerrou 12 anos de Benjamin Netanyahu no poder.

O novo primeiro-ministro, Naftali Bennett, é um nacionalista de direita que lidera uma coalizão de oito partidos que abrangem todo o espectro da política israelense.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui