Japão suspenderá emergência em Tóquio a 1 mês da Olimpíada

Adiados em 2020 por causa da pandemia, os Jogos Olímpicos começarão em 23 de julho. Casos e mortes estão em queda no país, mas a vacinação contra Covid-19 começou a acelerar só agora


0
Trabalhadores colocam banner da Olimpíada de Tóquio em frente ao Estádio Nacional, local da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos, em 2 de junho de 2021 (Foto: Eugene Hoshiko/AP)

O governo do Japão anunciou nesta quinta-feira (17) que vai suspender o estado de emergência devido à pandemia Tóquio e em outras regiões do país no domingo (20), a pouco mais de um mês do início da Olimpíada.

Adiados em 2020 por causa do novo coronavírus, os Jogos Olímpicos estão previstos para ocorrer entre 23 de julho e 8 de agosto deste ano e os Jogos Paralímpicos, entre 24 de agosto e 5 de setembro.

O número de casos e mortes estão em queda e a vacinação contra a Covid-19 começa a acelerar, mas o Japão é atualmente um dos países desenvolvidos com menos habitantes imunizados.

A capital Tóquio e outras cidades estão sob medidas de restrição desde 25 de abril, como o fechamento mais cedo de bares e restaurantes e a proibição de vender bebidas alcoólicas.

O estado de emergência deve permanecer em Okinawa, que pediu que a medida fosse mantida por mais algumas semanas.

As novas medidas ainda vão exigir que bares e restaurantes fechem às 20h, mas permitir a venda de bebidas alcoólicas até as 19h, e devem ser anunciadas oficialmente à noite pelo primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga.

Público na Olimpíada?

As novas medidas devem incluir um limite de 10 mil espectadores ou 50% da capacidade do local para eventos públicos (o que for menor), o que pode abrir a possibilidade de público nos Jogos Olímpicos.

Mas, pela primeira vez na história, não será permitida a presença de torcedores estrangeiros.

A pouco mais de um mês da cerimônia de abertura, os organizadores tentam mostrar que a Olimpíada, o maior evento internacional desde o início da pandemia, será segura para os atletas e o público.

Novas diretrizes de saúde divulgadas nesta semana alertam os atletas que eles podem ser expulsos dos Jogos caso violem exigências como usar máscara ou se submeter a exames diários.

Os organizadores disseram também que os atletas participantes serão vacinados e todos eles não poderão interagir com o público japonês.

Covid-19 no Japão

Desde março o Japão tem lutado contra uma nova onda de infecções, e o número casos diários chegou a quase 8 mil por dia no fim de abril e o de novas mortes passou de 200 em meados de maio.

Hospitais em Tóquio, Osaka e outras áreas metropolitanas ainda estão sobrecarregados por pessoas gravemente doentes.

Mas as infecções caíram menos de 2 mil por dia e os óbitos, para menos de 100 atualmente. Em Tóquio, os casos caíram de mais de 1,1 mil por dia em meados de maio para cerca de 500.

Apesar disso, a governadora de Tóquio, Yuriko Koike, disse que medidas eficazes devem ser mantidas para controlar o vírus.

Vacinação acelera

Especialistas afirmam que é fundamental acelerar a campanha de vacinação contra a Covid-19 para poder celebrar os Jogos com segurança.

Terceira maior economia do mundo, atrás apenas de Estados Unidos e China, o Japão é atualmente um dos países desenvolvidos com menos habitantes imunizados.

Menos de 16% da população recebeu ao menos uma dose e só 6% está totalmente vacinada, segundo dados do “Our World in Data”, projeto ligado à Universidade de Oxford.
Os números são muito menores que os de Reino Unido (62% com ao menos uma dose e 45% totalmente vacinados), EUA (52% e 44%), Alemanha (50% e 28%) e até o Brasil (27% e 11%).

Mas a vacinação tem ganhado tração no país de 126 milhões de habitantes. O Japão tem aplicado mais de 1 milhão de doses nos últimos dias e passou o Brasil, que tem 212 milhões de habitantes, no ritmo de vacinação diária.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui