Japão tem florada das cerejeiras mais cedo em 1,2 mil anos; veja FOTOS

Cientistas alertam que floração antecipada da 'sakura', a flor favorita do país, é um indício do impacto das mudanças climáticas. Fenômeno costuma ocorrer apenas em abril


0
Pessoas com máscaras de proteção saem às ruas em Tóquio, capital do Japão, para apreciar a florada das cerejeiras em 26 de março de 2021, em plena pandemia do novo coronavírus (Foto: Eugene Hoshiko/AP)

O início da Primavera no Japão marca um período de encher os olhos: o pico de florescimento das cerejeiras, que leva milhares às ruas e parques do país para observar o fenômeno, que dura poucos dias e é reverenciado há mais de mil anos.

Mas, em 2021, as famosas cerejeiras brancas e rosas floresceram totalmente em 26 de março em Quioto, a data mais antecipada em 12 séculos, segundo registros da Universidade da Prefeitura de Osaka (embora não haja registros em todos os anos).

A floração mais cedo indica mudanças climáticas, afirma Yasuyuki Aono, professor de ciência ambiental da universidade responsável por compilar um banco de dados completo dos registros das floradas ao longo dos séculos.

Os registros começam no ano 812 e incluem documentos judiciais da Quioto Imperial, a antiga capital do Japão, bem como diários medievais. Segundo Aono, as floradas mais cedo até então, ocorridas em 27 de março, foram nos anos de 1612, 1409 e 1236.

Mulher com máscara para se proteger da propagação do coronavírus tira foto de flores de cerejeira em Tóquio em 30 de março — Foto: Koji Sasahara/AP
Mulher com máscara para se proteger da propagação do coronavírus tira foto de flores de cerejeira em Tóquio em 30 de março (Foto: Koji Sasahara/AP)

Ciclista usa pau de selfie para filmar a florada das cerejeiras em 29 de março em Tóquio. A cerejeira, chamada de 'sakura', é a flor favorita do Japão — Foto: Kiichiro Sato/AP
Ciclista usa pau de selfie para filmar a florada das cerejeiras em 29 de março em Tóquio. A cerejeira, chamada de ‘sakura’, é a flor favorita do Japão (Foto: Kiichiro Sato/AP)

Japoneses aproveitam a florada para sair às ruas e tirar selfies sobre o rio Meguro, em Tóquio, em 28 de março — Foto: Kiichiro Sato/AP
Japoneses aproveitam a florada para sair às ruas e tirar selfies sobre o rio Meguro, em Tóquio, em 28 de março (Foto: Kiichiro Sato/AP)

Pessoas atravessam rua em meio à florada das cerejeiras, a flor favorita do Japão, em Tóquio — Foto: Kiichiro Sato/AP
Pessoas atravessam rua em meio à florada das cerejeiras, a flor favorita do Japão, em Tóquio (Foto: Kiichiro Sato/AP)
Mulher com máscara de proteção levanta seu cachorro de estimação para tirar uma foto sob as flores de cerejeira em 26 de março em Tóquio — Foto: Eugene Hoshiko/AP

Mulher com máscara de proteção levanta seu cachorro de estimação para tirar uma foto sob as flores de cerejeira em 26 de março em Tóquio — Foto: Eugene Hoshiko/AP

Pessoa tira foto de flores de cerejeira em 26 de março em Tóquio. Especialistas apontam que fenômeno ocorreu mais cedo no Japão em 2021 devido às mudanças climáticas — Foto: Eugene Hoshiko/AP
Pessoa tira foto de flores de cerejeira em 26 de março em Tóquio. Especialistas apontam que fenômeno ocorreu mais cedo no Japão em 2021 devido às mudanças climáticas (Foto: Eugene Hoshiko/AP)

Os japoneses costumam aproveitar o “pico de florescimento” das cerejeiras para passear pelos parques, fazer piqueniques embaixo dos galhos e abusar das selfies. Mas, neste ano, a florada de cerejeiras veio e se foi em um piscar de olhos.

O fenômeno costuma ocorrer em abril, quando o país comemora o início de seu novo ano letivo e comercial. “À medida que as temperaturas sobem, o início da floração é mais cedo”, afirmou Aono à agência de notícias Reuters.

Na capital Tóquio, as cerejeiras atingiram o máximo da florada em 22 de março, o segundo ano mais cedo já registrado, segundo a televisão americana CNN.

“À medida que as temperaturas globais aumentam, as geadas da última Primavera estão ocorrendo mais cedo e a floração está ocorrendo mais cedo”, afirmou Lewis Ziska, da Universidade de Columbia, à CNN.

A Agência Meteorológica do Japão acompanha 58 cerejeiras “referência” no país. Neste ano, 40 já atingiram o pico de floração e 14 o fizeram em tempo recorde (as árvores normalmente florescem por cerca de duas semanas todos os anos, do primeiro botão até a queda de todas as flores).

“Podemos dizer que é mais provável por causa do impacto do aquecimento global”, disse Shunji Anbe, funcionário da divisão de observações da agência.

As temperaturas globais em 2020 estiveram entre as mais altas já registradas e rivalizaram com 2016 como o ano mais quente de todos os tempos, segundo dados compilados pela Organização Meteorológica Mundial divulgados em janeiro.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui