José Mujica é internado com espinha de peixe entalada no esôfago

Ex-presidente do Uruguai não tem estado considerado grave, mas equipe médica preferiu a internação pela idade avançada do político. Esposa disse que político passou mal após comer filé de peixe


0
O ex-presidente uruguaio José Mujica, em 2019 (Foto: Eitan Abramovich / AFP)

O ex-presidente do Uruguai José “Pepe” Mujica foi internado nesta terça-feira (27) com uma espinha de peixe que ficou presa em seu esôfago, informou a médica do político aos jornais uruguaio “El País” e “El Observador”.

O estado de Mujica não é considerado grave, mas, pela idade avançada — 85 anos —, a equipe médica preferiu interná-lo para a retirada da espinha. O procedimento cirúrgico, a ser feito nesta noite, é considerado de menor complexidade, segundo o “El País”.

“É algo simples e amanhã ele estará de volta à sua casa”, disse a médica Raquel Pannone.
De acordo com a imprensa uruguaia, a mulher de Mujica, a senadora Lucia Topolansky, havia preparado um prato com peixe na segunda-feira. Ao comer, uma das espinhas ficou entalada no esôfago de Mujica, que teve dificuldades para respirar.

Em entrevista ao “El Observador”, Topolansky disse que “foi cuidadosa na preparação” para evitar que ficassem espinhas no peixe.

“Ontem ele estava comendo e sentiu isso. Foi comendo um filé de peixe sem espinha. Eu reviso [o peixe], mas às vezes essas coisas acontecem”, disse a senadora. Eleito senador, Mujica deixou o cargo.

Em outubro do ano passado, Mujica renunciou ao seu mandato de senador pelo país. Ele disse que que a pandemia de coronavírus fez com que ele antecipasse a decisão de por fim à sua atuação num cargo que exige contato constante e direto com a população.

“Esta situação me obriga, com muito pesar, por minha profunda vocação política, a solicitar que se tramite minha renúncia à cadeira que os cidadãos me concederam”, escreveu Mujica, em uma carta lida em sessão extraordinária do Senado.

“Isso não significa o abandono da política, mas sim o abandono da linha de frente por entender que um bom dirigente é aquele que deixa pessoas que o superam com vantagem. Vou agradecido, com muitas recordações e profunda nostalgia. A pandemia me derrubou”, disse.

Mujica tem uma doença autoimune chamada Síndrome de Strauss, que, junto com a idade avançada, o coloca no grupo de risco para a Covid-19. Em entrevista ao jornal “El Pais” do Uruguai, ele disse que gosta da política, mas gosta mais de poder viver o máximo que puder. Por causa dessa doença, o ex-presidente não pode se vacinar contra o coronavírus.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui