Jovem atleta de 19 anos morre por complicações neurológicas de Covid-19 nos EUA

Chad Dorrill, de 19 anos, parecia ter se recuperado, mas começou a apresentar sintomas graves ao retornar à universidade. Praticante de basquete e corrida, ele era saudável até contrair coronavírus; autópsia deve ajudar a entender como vírus afetou cérebro.


0
Chad Dorrill em foto de 2017 (Foto: Reprodução/Facebook/Susan Dorrill)

Chad Dorrill, um jovem universitário de 19 anos, morreu na segunda-feira (28) por complicações neurológicas causadas pela Covid-19 na Carolina do Norte, nos Estados Unidos. Sua morte chocou seus parentes e surpreendeu até mesmo médicos, já que ele até então era saudável, e praticava esportes como basquete e corrida.

Segundo seu tio, David Dorrill, o jovem recebeu o diagnóstico de Covid-19 no dia 7 de setembro, após ter sintomas parecidos com os de uma gripe, e passou dez dias em quarentena na casa dos pais. Ele parecia ter se recuperado completamente da doença e retornou à Appalachian State University, em Boone, onde era aluno do segundo ano.

Logo depois de voltar à universidade, porém, começaram os problemas neurológicos graves, conforme David relatou ao “New York Times”. De acordo com o tio, uma enorme fraqueza nas pernas o impossibilitava até de deixar a cama, e o pai o levou ao pronto-socorro.

Segundo os médicos que o atenderam, Chad teve o cérebro atingido pelo coronavírus, uma complicação bastante rara, mas já registrada em outros pacientes. Quando isso acontece, a pessoa sofre de fortes dores de cabeça, confusão e delírios. O caso dele, porém, foi ainda mais grave.

Na noite de segunda-feira, os pais do jovem autorizaram o desligamento dos aparelhos que o mantinham vivo, após a confirmação de que seu quadro se tornara irreversível. Colin McDonald, diretor de neurologia do Centro Médico Forsyth, em Winston-Salem, onde ele estava hospitalizado, disse ao “NY Times” que toda a equipe médica ficou devastada com a morte.

Uma autópsia será realizada para ajudar a entender melhor como a doença provocou a morte de Chad, mas os médicos acreditam que ele podia ser um portador não diagnosticado da síndrome de Guillain-Barré, uma doença neurológica rara em que o sistema imunológico do corpo ataca os nervos.

A mãe do jovem, Susan, escreveu em uma rede social que “se isso pode acontecer com um garoto de 19 anos super saudável que não fuma ou usa drogas, pode acontecer com qualquer pessoa.. enquanto nossa família sofre essa perda terrível, queremos lembrar às pessoas de usarem máscara e se colocarem em quarentena se seu teste for positivo, mesmo sem sintomas. Você não tem ideia de com quem pode entrar em contato e como o vírus os afeta de maneira diferente”.

A família diz que não sabe onde ou como Chad foi infectado pelo coronavírus, já que ele sempre usava máscara ao sair de casa e tomava medidas de precaução para evitar o contágio.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui