Jovem tem parada cardíaca e morre após cirurgia plástica em Cuiabá

Paciente estava apta ao procedimento e, assim, foi liberada para realizá-lo


4
Eliza da Silva, 27 anos, morreu nesta quarta-feira (14) (Foto: Arquivo Pessoal)

Uma jovem de 27 anos morreu nesta quarta-feira (14) após passar por uma cirurgia plástica em Cuiabá.

Conforme a equipe médica responsável, em pré-consulta com médicos anestesista e cardiologista, a vendedora de carros Eliza da Silva, 27 anos, realizou todos os exames necessários e os mesmos não apresentaram nenhuma anormalidade. Ela realizou lipoescultura com enxerto de gordura em glúteo, abdominoplastia e correção de uma cicatriz na mama.

A cirurgia da paciente foi realizada das 8h às 14h dessa terça-feira (13). Após este horário, ela foi levada ao quarto e apresentou boa recuperação.

Às 19h, a jovem se queixou de falta de ar. O médico de plantão solicitou os exames, que não mostraram nenhuma alteração em seu quadro clínico. Às 20h, o médico que realizou a cirurgia, Alexandre Veloso esteve com a jovem e ela não apresentou mais falta de ar, e os parâmetros vitais permaneceram estáveis. Por volta da meia noite desta quarta-feira (14), a jovem apresentou uma instabilidade em seu quadro e teve uma parada cardíaca.

O Brasil é o país com maior número de procedimentos estéticos cirúrgicos do mundo.

Segundo levantamento com base nos Dados, núcleo de jornalismo de dados do Metrópoles, com base nos balanços da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica (Isaps), desde 2010, em média, 217.481 brasileiros se submetem a lipoaspiração a cada 365 dias. Quase 596 a cada 24 horas. Estudos reconhecidos internacionalmente apontam que a taxa de mortalidade para lipoaspiração é de 19 mortes para cada 100 mil cirurgias realizadas.

Fonte: G1/ Metrópoles

4 Comentários

    • A canula da lipo tem uma facilidade muito grande de perfurar os órgãos internos principalmente o intestino que é o mais comum causando hemorragia digestiva, infecção generalizada, ou sepse

  1. A canula da lipo tem uma facilidade muito grande de perfurar os órgãos internos principalmente o intestino que é o mais comum causando hemorragia digestiva, infecção generalizada, ou sepse já os riscos da abdominoplastia são trombose, morte pela anestesia geral, sepse, infecção generalizada, parada cardiorrespiratória, entre outros

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui