Juízes solicitam informações a órgãos de saúde para decidir sobre possível interdição de frigoríficos de Lajeado

Prefeitura, HBB, Univates e 16ª Coordenadora de Saúde deverão prestar informações em 24 horas. Decisões devem ficar para quarta-feira.


1
Foto: Reprodução / Stial / Arquivo

Os juízes que respondem as duas ações cíveis públicas movidas pelo Ministério Público que pedem a suspensão das atividades das indústrias Minuano e BRF, de Lajeado, por 15 dias, solicitaram informações dos órgãos ligados à saúde do município, dentro de 24 horas.

Nos despachos proferidos na tarde desta segunda (4), os juízes Marcelo da Silva Carvalho, que responde pela ação da Minuano e Carmen Luisa Rosa Constante Barghouti, que analisa a ação envolvendo a BRF, solicitaram a elaboração de relatórios das situações das empresas, bem como da possibilidade de atendimento a infectados por novo coronavírus.

Os magistrados solicitam aos profissionais da Vigilância Sanitária de Lajeado e de médicos da 16ª Coordenadoria Regional de Saúde um relatório das inspeções realizadas na BRF e na Minuano. Também requerem informações da Secretaria de Saúde de Lajeado, do Hospital Bruno Born e da Univates acerca da situação de leitos e do possível esgotamento da capacidade de atendimento de infectados por Covid-19.

O titular da promotoria especializada de Lajeado, Sérgio Diefenbach, que, na coletiva realizada na manhã da manhã desta segunda-feira (4) chegou a estimar um prazo de 24 horas para as tomadas das decisões, agora entende que as definições deverão ser conhecidas na próxima quarta-feira (6).

Texto: Ricardo Sander
ricardosander@independente.com.br

1 comentário

  1. Muito demorado,sendo um assunto tão sério.
    Se tiver leitos para os possíveis casos das duas empresas, provavelmente o restante da população de lajeado tbem tera leitos então
    Observando sobre esse prisma tudo certo e pode liberar o comércio correto ou não ?

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui