Kamala Harris é a capa de fevereiro da Vogue americana; publicação é acusada de ‘branquear’ vice de Biden

Harris, de 56 anos, tomará posse da vice-presidência americana no próximo dia 20 de janeiro como a primeira mulher, negra e filha de imigrantes a ser eleita para o cargo na história do país.


0
Capa da edição de fevereiro da revista "Vogue" dos Estados Unidos, com a vice-presidente eleita Kamala Harris, foi divulgada em 10 de janeiro de 2020 (Foto: Reprodução/Revista Vogue)

A vice-presidente eleita dos Estados Unidos, Kamala Harris, foi escolhida para estampar a capa de fevereiro da revista “Vogue” americana. O anúncio, feito no domingo (10), foi acompanhado de críticas nas redes sociais que acusam a publicação de ‘branquear’ a vice de Biden.

Harris, de 56 anos, tomará posse da vice-presidência americana no próximo dia 20 de janeiro como a primeira mulher, negra e filha de imigrantes – de pai jamaicano e mãe indiana – a ser eleita para o cargo na história do país.

“Fazer história foi o primeiro passo”, disse a revista em uma rede social. “Agora Harris tem uma tarefa ainda mais monumental: ajudar a curar um país fragmentado.”

A postagem que anuncia a capa de fevereiro apresenta duas opções de imagens, ambas feitas pelo fotógrafo Tyler Mitchell, que em 2018 se tornou, aos 23 anos, – e após um ensaio com a cantora Beyoncé – o primeiro afro-americano a fotografar uma capa para a revista que tem mais de 125 anos.

A “Vogue” não informou se as duas capas divulgadas no domingo serão distribuídas em fevereiro ou se apenas uma delas estará disponível nas bancas.

Suposto branqueamento

Postagens nas redes sociais criticaram a revista e a acusam de branquear Harris na edição. Um jornalista, colaborador do jornal “The New York Times”, descreveu a imagem de capa como “uma bagunça”. Ele ironizou a publicação e disse que faria um trabalho melhor com seu celular.

Em agosto do ano passado, a revista “Vogue” dos EUA chegou a ser criticada após um ensaio fotográfico feito com Simone Biles que – por conta da iluminação – clareou o tom da pele da ginasta afro-americana.

À época o editor de fotografia do “The New York Times”, Morrigan McCarthy, disse que a publicação não se preocupou em contratar um fotógrafo negro e que a tonalização do ensaio era “previsível”.

Citando fontes da revista “Vogue”, o tabloide americano “The New York Post” diz que não houve nenhum tipo de edição para branquear a vice-presidente eleita.

Segundo o tabloide, a equipe de Harris esteve presente durante todo o processo e teve total controle na escolha das roupas, cabelo e maquiagem usadas no ensaio.

A revista também publicou em seu site a íntegra da reportagem de capa: um perfil de Harris assinado pela jornalista afro-americana, Alexis Okeowo.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui