Kit Covid reduz óbitos e internações, aponta levantamento da secretaria de Saúde de Lajeado

Óbitos caíram 58% e as internações 85%, diz o médico pneumologista Cláudio Klein


18
Médico Claudio Klein, secretário de Saúde de Lajeado (Foto: Rodrigo Gallas / Arquivo)

O Kit Covid reduziu óbitos e internações em Lajeado. É o que aponta um levantamento realizado pela secretaria da Saúde de Lajeado, entre 17 de fevereiro e 18 de março. De acordo com o secretário da Saúde de Lajeado, o médico pneumologista Cláudio Klein, o estudo foi realizado com 176 pacientes, que receberam o Kit Covid no Posto do Centro de Lajeado. “Foi verificado que tipo de repercussão teve”, explica. A análise foi finalizada nesta quarta-feira (14) e divulgada na manhã nesta quinta-feira (15) na programação da Rádio Independente.


ouça a entrevista

 


 

Segundo Klein, deste grupo de 176 pessoas ocorreu um óbito, o que representa 0,6% do montante estudado. O óbito geral na cidade pela doença é de 1,4%. “Então caiu em um 58% o número de óbitos”, diz Klein. O médico acredita que a redução ocorreu devido ao uso precoce do Kit Covid. “Tivemos 50 óbitos neste período. Se trouxermos este número para a porcentagem de tratados com os medicamentos, o número de óbitos seria de 21.”

“Dá internação, então, é absurdamente menor”. Foram 259 (7,4%) de internações hospitalares no grupo total de 3.502 confirmados, em Lajeado, no período estudado. Já do grupo de 176 pacientes que utilizaram o Kit Covid, apenas duas pessoas internaram — o que representa uma redução de 85%, conforme dados do secretário da Saúde de Lajeado.

O Kit citado pelo médico pneumologista é composto por cinco medicamentos, são eles: Cloroquina/Hidroxicloroquina, Azitromicina, Ivermectina, zinco e vitamina D. “A gente, quanto secretaria, dá liberdade para o médico prescrever, ou não, o kit Covid. Mas eu sempre fui a favor.”

Reestreia no Acordo Rio Grande 

Cláudio Klein reestreou no Acorda Rio Grande nesta quinta-feira (15). O médico que por anos realizava participações semanais no programa, retornou hoje. Agora, semanalmente, nas quintas-feiras, o atual secretário da Saúde de Lajeado participará do programa trazendo assuntos científicos do mundo da medicina e da pasta que atua.

Texto: Rodrigo Gallas
web@independente.com.br

18 Comentários

    • Não, temos um médico que estudou pra isso e não é hipócrita como a maioria dos que estão na mídia, os dados estão aí e mostram a eficácia, existem vários estudos que corroboram para isso, a maioria dos estudos que diz que não funciona foi feito quando o paciente já esta em estado grave o que já não adianta mais.

    • Está com dor de cotovelo porque o kit preventivo difundido por Bolsonaro funciona.
      A propósito Bolsonaro também não é Cientista e nem Médico, porém, tem humildade para reconhecer e buscar informações.

  1. Tirando a imprensa que condena este kit. Porque só aqui no Brasil ainda se fala nisso . Se funciona por o ministério da saúde não obriga a usar. Não se ouve nem um outro país falar sobre estes medicamentos. E se é tão bom porque precisa que o paciente assine um termo ?

  2. Em momento algum o Dr. Cláudio Klein expressou ter descoberto a cura da Covid 19, e sim que o uso do “tratamento precoce” REDUZIU ÓBITOS E INTERNAÇÕES. Prezado Mario, sua interpretação de texto está deixando muito a desejar. Sugiro sua volta às aulas.

  3. Parabéns! O caminho é tratamento precoce, conforme já se verificou em Porto Feliz, Porto Seguro, RN, e em outros locais que tb colheram resultados positivos como este.
    Dra. Roberta Lacerda é infectologista no país, que utiliza tratamento precoce, com excelentes resultados. Tb participa de pesquisas com outros médicos. Sugiro contato para troca de conhecimentos.

  4. Interessante que a queda de infecções, internações e mortes sempre coincidem com as medidas tomadas de afastamento social, como foi aqui em Lajeado. Duas semanas após as restrições de circulação, os números começaram a reduzir. Coincidência? Num país onde a automedicação é um esporte nacional, imaginar que as pessoas não estejam se automedicando é não conhecer a realidade do país. Estivesse funcionando não estaríamos com mais de 360 mil mortes. Se o tal kit funcionasse, não seria razoável imaginar que estaria sendo usado no mundo inteiro?

    • O mula, você sequer leu a matéria, o levantamento foi feito em doentes confirmados e não teve como alvo reduzir o contágio e sim evitar a internação.

  5. Primeiramente: onde está a autorização de Comitê de Ética para estudo com seres humanos? Validar essa pesquisa sem isso é criminoso na perspectiva ética. Deveria ser para, no máximo, uso interno. Vergonhosamente, também não traz o conflito de interesse do Sec. Cláudio Klein: quantas farmacêuticas ele trouxe para as reuniões dos médicos mensais desde que assumiu essa gestão? Isso, por si só, já exclui este estudo. Também, onde está o grupo placebo? Como comparar medicamento x medicamento? Não há teste estatístico, não há significância, não há p. Análise de dois casos é referência desde quando? Somente quatro referências em todo estudo? Por favor. Dediquem-se a gestão e deixem pesquisa para quem sabe fazer. Este estudo é o pior já visto.

    • Sr Mituyoio. Alguma possibilidade de elogio ao esclarecimento do Sr Cláudio ou ele fez tu errado segundo sua ótica e não merece nem um parabéns pela redução de m Lajeado? Poupe-nos sr sabe tudo!!!

  6. Acho muito importante que se deixe o paciente escolher se quer tomar o kit ou não, afinal se tem um médico que prescreve, o paciente não esta se auto medicando; lembre-se, ainda estamos numa democracia, a esquerda está muito próxima, mas ainda não assumiu.

  7. Levantamento baseado em nada e que não serve pra nada. (176 pessoas? Kkkkkk cria vergonha rapaz!!) Em um momento em que o mundo inteiro está excluindo o kit covid como alternativa viável, o Sr. Cloroquina aqui de Lajeado segue firme em suas convicções furadas. A sorte é que “vai quem quer” nesse papinho. Minha família já sabe, se eu precisar de tratamento, não usem o kit covid!!

  8. Os números são incontestáveis! No Mundo inteiro já se utiliza esses medicamentos, sempre respeitando a atuação responsável do médico. E quem procura, encontra robustos estudos à respeito da eficácia desses medicamentos em favor da vida. Chega de mortes por ideologias

  9. Foi comparado o uso de Hidroxicloroquina e Ivermectina com o kit que incluiu além destes a vitamina D e Zinco. Ou seja, deveríamos concluir então que o que melhorou os índices do internação e óbitos foram estes dois últimos?

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui