Lajeadense recebe vacina contra Covid-19 após participar de estudo da Oxford

Nilo Scheid Júnior, de 55 anos, ficou surpreso ao receber a informação sobre o imunizante, já que não pertence ao grupo prioritário. Ele tomará a segunda dose em abril.


0
Nilo Scheid Júnior, de 55 anos, morador da área central de Lajeado (Foto: Gabriela Hautrive)

Desde o dia 17 de janeiro, após ter o uso emergencial aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), as vacinas CoronaVac e da Universidade de Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19, estão sendo aplicadas no Brasil. No Vale do Taquari a imunização iniciou no dia 19. Até o momento, em todo o país, as doses estão disponíveis apenas para grupos prioritários, começando por profissionais de saúde e idosos. Porém, devido a estudos realizados pela Universidade de Oxford, em Porto Alegre, outras pessoas tiveram oportunidade de receber o imunizante.


OUÇA A REPORTAGEM 


Comprovante emitido pelo Hospital de Clíninas de Porto Alegre após aplicação da 1ª dose da vacina (Foto: Gabriela Hautrive)

O lajeadense, que trabalha como cabeleireiro há 26 anos, Nilo Scheid Júnior, de 55 anos, foi um deles. Ele participou da pesquisa em outubro de 2020, e logo depois que a vacina foi liberada no Brasil, foi chamado novamente ao Hospital de Clínicas, na capital. Scheid conta que se escreveu em agosto para participar do estudo, momento em que estavam recrutando alguns participantes para fazerem parte do processo. “A princípio começamos a sermos vacinados em outubro com a primeira dose e a segunda dose em novembro, só que em um estudo, metade recebe o placebo, que foi a vacina da meningite, e a outra metade a vacina da Covid”, conta.

Os grupos foram separados de forma aleatória, sendo que o cabeleireiro não tinha conhecimento sobre qual vacina havia tomado. No final de janeiro, recebeu a informação de que mesmo ficando no grupo chamado de controle, ou seja, sem o imunizante contra o coronavírus, receberia a vacina. “Imediatamente entraram em contato com o grupo e começaram a marcar a vacinação de acordo com algumas prioridades, mas como são menos pessoas a serem vacinas, eu acredito que agora todos do grupo controle já devem ter tomado a primeira dose”, relata.

Lajeadense entrou no processo de pesquisa em outubro de 2020 (Foto: Gabriela Hautrive)

Scheid também informou que precisou assinar um contrato antes de participar do processo. “O documento falava sobre as responsabilidades que nós tínhamos e também as que eles possuem”, completa. O lajeadense relata que por não fazer parte dos grupos prioritários que recebem a vacina neste momento, ficou feliz e surpreso com a imunização. “Foi super bacana, pois estamos acompanhando a dificuldade que o governo está tendo procurando vacina, e a população culpando o governo, que não sei se está certo ou errado, mas o mundo inteiro está procurando por ela”.

Conforme o cronograma, ele tomará a segunda dose do imunizante no dia 28 de abril. Além disso, Scheid seguirá o tratamento pelo período de um ano, até outubro de 2021. “De dois em dois meses temos consulta com médico, tiramos sangue, que é analisado e também fizemos testes, esse tipo de coisas”, conta. Os estudos no Hospital de Clínicas de Porto Alegre para aplicação de testes clínicos da vacina da Universidade de Oxford contra o coronavírus iniciaram no dia 1º de outubro. O número e o perfil de participantes não foram divulgados pelo hospital.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui