Lajeado amplia possibilidade de alunos em sala de aula para reduzir prejuízos à aprendizagem

Secretária Vera Plein explica autorização para retorno nas escolas municipais a crianças de 1 e 2 anos


0
Foto: Tiago Silva

Foi anunciada nesta quarta-feira (16) a permissão para o retorno das aulas para crianças de 1 e 2 anos nas escolas municipais de Lajeado, bem como a presença de um maior número de estudantes nas salas de aula de todas as redes de ensino em função da baixa propagação do coronavírus nas escolas. As turmas de berçário (crianças menores de 1 ano) não retornarão neste momento. O anúncio foi realizado pelo prefeito Marcelo Caumo, em reunião com o Comitê Regional de Enfrentamento à Covid-19.

Nesta quinta-feira (17), no Redação no Ar, a secretária de Educação de Lajeado, Vera Plein, comentou a ampliação. “Essa é a nossa grande esperança de tentar trazer o máximo possível de alunos para dentro das salas de aula. A gente percebe que houve um prejuízo bastante grande para a aprendizagem dos alunos por ficarem tanto tempo fora das escolas”, ressalta. “Nesse rodízio que acontece, as crianças são atendidas, mas não como um professor pode e deve dar o total atendimento”, destaca.


ouça a entrevista

 


Para a maior presença na sala de aula, foi flexibilizada o distanciamento, de 1,5m para 1,2m, conforme resolução do Conselho Municipal de Educação (Comed). A metragem é a mesma já adotada pelo Conselho Estadual de Educação. “A gente está fazendo isso com muita cautela e muito cuidado. Sempre os protocolos sanitários em primeiro lugar, todos eles observados”, Vera pontua.

A presença nas escolas não é obrigatória, facultada a cada família. Nos próximos dias, as equipes diretivas das escolas devem buscar as adequações necessárias nas salas de aula, no pátio, no horário de recreio, na disponibilização de lanches etc. “Nós não temos escola padrão. Cada escola precisa fazer o seu controle”, lembra a secretária. “A grande maioria comporta as exigências, algumas precisarão de adequações”, percebe.

Lajeado tem 18 Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs) e 24 Escolas Municipais de Educação Infantil (Emeis). “O berçário não volta porque precisa de uma atenção ainda maior”, avalia a titular da pasta de Educação. De mesmo modo, as atividades em tempo integral também não retornam neste momento nas escolas municipais. Vera diz que o turno oposto é importante para a higienização das escolas.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui