Lajeado busca flexibilizações para o comércio nos finais de semana e período da noite

Prefeito Marcelo Caumo se reúne com representantes da Casa Civil do Governo do Estado na tarde desta segunda-feira (29), em Porto Alegre


0
Comércio não essencial está impossibilitado de abrir durante os finais de semana e bares e restaurantes não funcionam no período da noite (Foto: Gabriela Hautrive)

Mesmo com possibilidade de cogestão para região de Lajeado, devido à classificação de bandeira preta no modelo de distanciamento controlado do Governo do Estado, alguns estabelecimentos comerciais seguem com restrições para funcionamento e pedem mudanças, inclusive com realização de protestos. Conforme o prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, apesar do momento ainda exigir muito cuidado e cautela por conta da pandemia, a cidade apresentou uma melhora nos indicadores de saúde nas últimas três semanas. Por isso o Poder Executivo tenta, junto ao Governo do Estado, algumas flexibilizações para o comércio.


ouça a reportagem

 


As mudanças envolvem abertura durante o final de semana para aqueles que trabalham com vendas em decorrência da Páscoa, e também para bares e restaurantes que não estão podendo fazer atendimento presencial ao público na parte da noite. Conforme o chefe do Executivo, no encontro serão apresentados dados em relação a pandemia em Lajeado. “Números de postos de saúde, da UPA, atendimentos de Unimed e do Hospital Bruno Born (HBB) que tem realmente apresentado uma queda e com isso buscar flexibilização para setores que estão sem possibilidade de trabalhar, no caso de bares e restaurantes”, explica.

O pedido também prevê restrições com limite de ocupação, uso de álcool em gel e máscara. “Que essas pessoas possam estar retomando suas atividades pois existe uma queda no número do contágio, o que permite um passo adiante”, completa. Na manhã desta segunda-feira (29), Caumo se reuniu com três representantes de bares e restaurantes para tratar sobre o assunto. “Fizemos contato com eles para que estabelecem algumas pessoas para que pudéssemos manter o diálogo, pois não um sindicato ou órgão representante do setor, e eles estão buscando as melhorias que a atividade necessita”, explica.

Sobre a conversa com o Governo do Estado, o prefeito diz que espera uma resposta o mais rápido possível, pois a não abertura do comércio no final de semana pode gerar outros problemas. “O fato de não termos as atividades permitidas, gera a saída das pessoas da cidade para litoral e campings, ou seja, acontece o que estamos tentando evitar nesse momento, que são aglomerações”, conclui.

Prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo (Foto: Gabriela Hautrive)

Manifestações em Lajeado

Empresários dos ramos de bares e restaurantes fizeram protesto pelo Centro de Lajeado no último sábado (27). Eles pediam flexibilização nas regras para poderem atender aos finais de semana, e extensão no horário no meio da semana. O slogan do movimento é “Se põe comida na mesa, é essencial”. A Rua Júlio de Castilhos, no centro de Lajeado, recebeu bloqueios para evitar aglomerações, em função da ameaça de abertura de estabelecimentos. O governo do estado não liberou o comércio não essencial no final de semana.

Nesta segunda-feira (29), um novo protesto está previsto para às 14h30 nas ruas centrais da cidade. O pedido é para abertura de bares e restaurantes no período da noite.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui