Lajeado conta com centro de atendimento destinado às crianças com transtornos do neurodesenvolvimento

Casa Verde, que fica ao lado do Caps Infantil, foi inaugurada na manhã desta quinta


0
Inauguração ocorreu na manhã desta quinta-feira (Foto: Caroline Silva)

Lajeado inaugurou o centro de atendimento destinado às crianças com transtornos do neurodesenvolvimento, a chamada Casa Verde, na manhã desta quinta-feira (7). O local está localizado ao lado do Caps Infantil, na Rua Saldanha Marinho, 703.

O prefeito Marcelo Caumo se emocionou durante seu pronunciamento, e mencionou uma de suas filhas que foi diagnosticada com transtornos do neurodesenvolvimento. Para ele, é uma das obras mais especiais que o município inaugura. “É um momento marcante. Entre todas as obras que fizemos, essa tem um carinho especial porque eu, particularmente, tive dificuldade de conseguir na rede particular este serviço. Então Lajeado está dando um passo importante para a qualidade de vida da sua população”, destaca.

VÍDEO: “Esse serviço transforma a vida das famílias”, afirma prefeito

A coordenadora do Centro de Apoio Psico Social Infantil (Caps Infantil), a enfermeira Naiana de Quadros, e também gestora da Casa Verde, fala que os atendimentos já começam na próxima semana. “A casa já está equipada e parte da equipe completa para os atendimentos. A gente vai estar acolhendo essas famílias e agendando os atendimentos”, comenta.

O espaço poderá atender de 30 a 40 crianças e adolescentes, de 3 a 18 anos, portadores do Transtorno do Espectro Autista (TEA), deficiência intelectual, dificuldade em comunicação e alguns transtornos motores. A gestora diz que para receber o serviço é preciso que haja um encaminhamento por parte de um profissional. “A pessoa precisa ser referenciada para esse serviço, então a família precisa buscar por sua Unidade de Saúde e o profissional vai avaliar esse caso, se tiver dentro da demanda do serviço ele vai encaminhar para a Casa Verde”, explica.

O centro contará com uma equipe multidisciplinar, composta por terapeuta ocupacional, psicólogo, enfermeiro, educador físico, fonoaudiólogo e psicopedagogo.

Texto: Caroline Silva
jornalismo@independente.com.br

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui