Lajeado é reconhecido por acolhimento a imigrantes: “As pessoas têm que ser tratadas iguais”, afirma secretária

Município recebeu o selo MigraCidades 2021, concedido pela Organização Internacional para as Migrações (OIM)


0
Secretária de Desenvolvimento Social de Lajeado, Céci Gerlach (Foto: Tiago Silva)

Lajeado recebeu o selo MigraCidades 2021, concedido pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A certificação tem como objetivo reconhecer o engajamento dos governos em aprimorar a governança migratória e dar visibilidade às boas práticas identificadas nos estados e municípios brasileiros. Lajeado está entre as 46 cidades brasileiras participantes.

“É um reconhecimento do município que acolhe e acolhe bem os migrantes”, comemora a secretária de Desenvolvimento Social de Lajeado, Céci Gerlach. “Acho bacana o selo reconhecer a iniciativa e a dedicação dos governos, mas isso nem poderia ser diferente. As pessoas têm que ser tratadas iguais”, pondera.

Entre os aspectos analisados pela organização estão a estrutura institucional de governança e estratégia local, capacitação de servidores públicos, transparência e acesso à informação, acesso a direitos, à saúde, à educação, ao mercado de trabalho, entre outros aspectos relacionados à integração e ao bem-estar das pessoas migrantes.

Lajeado facilitou políticas públicas com a garantia da segurança alimentar e nutricional da população migrante, o acesso ao Sistema Único de Assistência Social (Suas), por meio de serviços como o Centro de Referência e Assistência Social (Cras) e o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), e ao cadastro para benefícios sociais de forma desburocratizada.

Além disso, os profissionais da assistência e proteção social são capacitados para acolher migrantes nos serviços. Cerca de 100 imigrantes procuram regularmente a Secretaria de Desenvolvimento Social, que tem uma pessoa haitiana para facilitar o acolhimento e o diálogo na língua nativa.

De acordo com o relatório do MigraCidades, entre janeiro de 2000 e junho de 2021, 1.941 migrantes obtiveram o Registro Nacional Migratório como habitantes do município. Destes, 58% são do sexo masculino e 42% do sexo feminino. As três nacionalidades com mais migrantes na cidade são Haiti, Colômbia e Portugal, nesta ordem.

“Eles vêm de várias partes. Temos imigrantes haitianos, venezuelanos, de Bangladesh. Temos uma série de pessoas chegando. Às vezes a gente se pergunta por que escolhem Lajeado. Talvez por ser uma cidade que acolhe e porque a gente tem uma estrutura administrativa não só que atende quem está aqui, mas também quem vem de fora”, explica.

Texto: Tiago Silva
web@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui