Lajeado encerra 2020 com R$ 48 milhões em caixa e R$ 34,5 milhões investidos no setor Covid

Dados foram apresentados para imprensa na manhã desta quinta-feira (28) na Prefeitura de Lajeado.


2
Dados foram apresentados pelo secretário da Fazenda de Lajeado, Guilherme Cé (Foto: Gabriela Hautrive)

Na manhã desta quinta-feira (28), os números de receitas e despesas do poder executivo de Lajeado, em 2020, foram apresentados para imprensa em ato que aconteceu no gabinete do prefeito. Além disso, também foram informados os investimentos no setor Covid e as perspectivas de aplicações que serão feitas no município neste ano de 2021. O número que chama atenção, é que a cidade encerrou o ano com R$ 48 milhões de superavit, ou seja, dinheiro em caixa.


ouça a reportagem


O saldo é o maior dos últimos anos: em 2019 foram R$ 25 milhões; em 2018 R$ 18 milhões e 2017 R$ 12 milhões. No ano passado, o Governo Federal repassou R$ 30,9 milhões de recursos para investimentos no setor Covid, sendo que Lajeado aplicou R$ 34,5 milhões nesta área. As principais demandas foram as ampliações de leitos e compra de respiradores.

Secretário da Fazenda de Lajeado, Guilherme Cé (Foto: Gabriela Hautrive)

Conforme o secretário da Fazenda de Lajeado, Guilherme Cé, a iniciativa visa prestar contas para comunidade sobre recursos que chegaram no município e foram necessários para o enfrentamento da pandemia. “Entendemos que é uma forma de dar transparência, prestar contas, algo que sempre batemos na tecla, e felizmente conseguimos superar o ano de 2020 com uma crise inédita em todo o mundo”, declara o secretário.

O secretário destaca que o município está preparado para mais um ano desafiador que será 2021, pois diferente do ano anterior, não estão previstos repasses por parte do Governo Federal. “Pela primeira vez na história, desde o plano real, em 1994, o orçamento de Lajeado projetado para o próximo ano é inferior ao realizado no ano anterior, então vamos precisar destas sobras, primeiro para cobrir as despesas essenciais do funcionamento público”, explica. Outra prioridade, conforme Cé, é fazer uma reserva especialmente para este, com foco em suprir as necessidades e demandas do setor público.

Reunião realizada na manhã desta quinta-feira (Foto: Gabriela Hautrive)

O prefeito, Marcelo Caumo afirma que o saldo positivo garante boas projeções de investimentos. “Os serviços públicos seguem atendendo com qualidade e vamos enfrentar um ano sem prejuízos nesta prestação de serviços e ainda conseguimos fazer projeções de avanços”, diz o chefe do executivo. Entre as melhorias estão obras de infraestrutura, construção de creches e atendimento adequado na área saúde. “Teremos condições de fazer Lajeado seguir crescendo”, completa.

Se em 2020, a maior parcela dos recursos federais foi destinada ao setor Covid, em 2021, a prioridade na área da saúde será para diminuir as filas de exames e procedimentos cirúrgicos, que são de responsabilidade do Estado, mas o munícipio contribui financeiramente para qualificar o sistema. “Trabalha com a saúde da nossa população, então na saúde, a maior parte dos recursos serão investidos nesse projeto para diminuir filas na demanda de exames e cirurgias, sem esquecer as demais áreas que são importantes e já fazem parte do orçamento original”, relata.

Lajeado registrou aumento em 24,15% nos investimentos na área da saúde em 2020. Se tratando do setor cultural, também bastante afetado pela pandemia causada pelo novo coronavírus, o valor repassado, através da Lei Aldir Blanc, foi de R$ 589 mil. Os dados completos podem ser acessados no Portal da Transparência. Nesta sexta-feira (29) a prefeitura fará prestação de contas para o Tesouro Nacional e o Tribunal de Contas.

Prefeito de Lajeado, Marcelo Caumo, também participou da apresentação dos dados (Foto: Gabriela Hautrive)

Superavit de R$ 25 milhões em 2019

A Prefeitura de Lajeado teve um superavit de R$ 25 milhões em 2019, superando naquela oportunidade, as economias de R$ 12 milhões em 2017 e R$ 17 milhões em 2018. A proposta da administração era deixar entre R$ 10 e R$ 20 em caixa no ano. “As finanças de Lajeado estão em equilíbrio, estamos em uma situação confortável. As nossas despesas cabem dentro da nossa receita. A gente está conseguindo fazer uma gestão que tenha um controle das despeças, cuidando, justamente, para que o município não gaste mais do que arrecade”, valorizou na época o secretário da Fazenda, Guilherme Cé.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

2 Comentários

  1. Se tem tudo isso em caixa, porque não investem mais na saúde, cirurgias, etc.
    Meu pai fez biopsia pelo posto de saúde há um ano e meio (05/2019) e desde 08/2019 espera pela cirurgia oncológica.
    Quase 2 anos com câncer e a fila não anda???

  2. DE que adianta dinheiro em caixa se a cidade esta sendo tomada pelo mato e as capoeiras . Melhor usar os recursos pra cuidar da cidade que moramos .

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui