Lajeado entra em estado de alerta após identificar quatro casos suspeitos de dengue

Casos estão passando por avaliação e ainda necessitam dos exames confirmatórios


0
Foto: Divulgação

Cuidado redobrado e atenção a pontos de água parada. Estes são os dois pedidos da Vigilância Ambiental de Lajeado, setor vinculado à Secretaria Municipal da Saúde (Sesa), em razão da identificação de quatro casos suspeitos de dengue no município. Os casos estão passando por avaliação e ainda necessitam dos exames confirmatórios, mas o município já entrou em estado de alerta para a adoção de medidas preventivas ainda mais amplas para evitar aumento na transmissão. 

“Precisamos estar ainda mais atentos porque os sintomas da dengue se confundem com os da Covid-19. E a dengue também pode evoluir para formas graves. Por isso pedimos a atenção de toda a comunidade para um esforço conjunto de eliminar os focos do mosquito para evitar uma nova epidemia na cidade”, alerta a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Juliana Demarchi.

O alerta é reforçado para os moradores dos bairros São Cristóvão, Campestre e Jardim do Cedro, onde foram identificados os casos suspeitos. A Vigilância Ambiental explica que o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, é um inseto urbano e 80% dos seus focos encontram-se no ambiente domiciliar. Desta maneira, é importante que sejam mantidos todos os cuidados para não que não ocorra a transmissão da doença. Confira abaixo quais hábitos devem ser adotados. 

Segundo Catiana Lanius, coordenadora da Vigilância Ambiental, a população tem papel crucial na eliminação dos focos de procriação do mosquito. “Geralmente, a ocorrência de epidemias de dengue está diretamente relacionada com a presença e a frequência do mosquito Aedes aegypti, por isso, a melhor forma de se proteger é evitar que ele se desenvolva. Cabe a cada um de nós fazer a sua parte na eliminação de qualquer depósito que possa acumular água. Durante as próximas semanas, as ações da Vigilância Ambiental estarão direcionadas para as áreas próximas às moradias dos casos suspeitos, com o objetivo de inviabilizar os criadouros, diminuir a densidade vetorial e prevenir possível surto da doença”, explica Catiana.

A coordenadora ressalta que, em 2021, já foram encontrados 109 focos de Aedes aegypti nas visitas domiciliares realizadas pelos Agentes de Combate às Endemias de Lajeado. Entre janeiro e fevereiro, três casos suspeitos da doença no município foram descartados após a conclusão dos exames, mas a Vigilância Ambiental seguiu realizando ações de combate ao mosquito Aedes Aegypti. Entre as principais ações estão as visitas domiciliares que visam eliminar criadouros e orientar sobre as atitudes de cada residente no combate ao mosquito e as pesquisas para execução do Levantamento de Índice Rápido para Aedes (LIRAa). Este levantamento é feito de três em três meses e tem o objetivo de apontar as áreas do município com maior abundância de Aedes. 

Fique atento aos principais sintomas da dengue:

  • Febre alta, maior que 38,5ºC
  • Dores musculares intensas
  • Dor ao movimentar os olhos
  • Mal estar
  • Falta de apetite
  • Dor de cabeça
  • Manchas vermelhas no corpo.

Atenção: Em caso de identificação dos sintomas e suspeita de dengue, procure atendimento médico para realizar o diagnóstico. 

Como se proteger e evitar a transmissão:

  • Mantenha fechadas as tampas de vasos sanitários e de ralos pouco usados, como os de áreas de serviço e de lazer, que tenham a possibilidade de acumular água
  • Se for viajar, feche também os ralos dos banheiros e a tampa dos vasos sanitários
  • Mantenha o pátio sempre limpo, jogando fora o que não é utilizado
  • Descarte corretamente recipientes em desuso, que possam acumular água, como: potes, tampinhas de garrafa, folhas, sacolas plásticas, etc.
  • Tampe tonéis, caixas d’água e qualquer tipo de recipiente que possa acumular água
  • Certifique-se de que as lonas de cobertura de piscina ou caixas d´água, por exemplo, estejam bem esticadas para não haver acúmulo de água
  • Não deixe acumular água nos vasos de plantas
  • Mantenha a bandeja de degelo da geladeira limpa e sem água
  • Se por algum motivo tiver pneus no quintal, mantenha-os secos e abrigue-os em local coberto, ou descarte-os corretamente se não tiverem utilidade
  • Escove bem as bordas dos recipientes (vasilha de água e comida de animais, vasos de plantas, tonéis, caixas d’água) e mantenha-os sempre limpos
  • Faça o tratamento com cloro na água das piscinas

Para denúncias de focos do mosquito entre em contato com a Vigilância Ambiental pelo fone (51) 3982-1216. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui