Lajeado já aplicou cerca de R$ 10 milhões em recursos próprios no combate à pandemia

Conforme o secretário da Fazenda de Lajeado, a União fez o aporte de R$ 33 milhões para despesas relacionadas ao coronavírus


0
Guilherme Cé, economista e secretário da Fazenda de Lajeado (Foto: Tiago Silva)

O secretário da Fazenda de Lajeado, Guilherme Cé, detalhou os repasses de recursos recebidos dos governos federal e estadual, e os aportes de investimentos que a administração realizou no combate à pandemia de coronavírus, que totalizaram R$ 10 milhões. Conforme ele, ao longo de 2020, o governo federal repassou R$ 13 milhões para aplicação livre dos municípios. Estas verbas foram para cobrir queda de arrecadação das prefeituras em função da crise de saúde. “A queda de arrecadação foi de R$ 20 milhões, e vieram cerca de R$ 13 milhões para este suporte”, detalha.


ouça a entrevista

 


A União também fez o aporte de R$ 33 milhões para despesas relacionadas à pandemia. Segundo o secretário da Fazenda de Lajeado, são R$ 30 milhões para custear a saúde pública (como a criação de novos leitos e a qualificação da estrutura hospitalar), e R$ 3 milhões para assistência social, como cestas básicas e suporte ao setor de eventos. Para estes fins, a Prefeitura de Lajeado colocou em cima R$ 3 milhões, totalizando R$ 36 milhões.

“Até fevereiro, Lajeado já tinha investido R$ 36 milhões apenas no combate à pandemia, fora outras despesas que não entram, mas servem de suporte ao atendimento na saúde”, Cé detalha. Até o final do mês de março, Lajeado deve se aproximar e superar a marca de R$ 40 milhões destinados ao combate à pandemia de coronavírus. Desse montante, aproximadamente R$ 10 milhões são de recursos próprios do município, utilizados, por exemplo, para aquisição de respiradores e equipamentos de alto fluxo para o Hospital Bruno Born (HBB).

Para o secretário da Fazenda, o aporte de recursos próprios feitos e previstos para serem realizados ao longo deste ano só é possível em função da economia e reserva realizada pela administração nos últimos quatro anos. Só em 2020, Lajeado fechou com R$ 48 milhões de superavit. “Felizmente, Lajeado tinha dinheiro em caixa, tinha condições orçamentarias justamente para aportar novos recursos e enfrentar esse momento crítico”, destaca Guilherme Cé. “Nos últimos quatro anos, a gente sempre procurou trabalhar com reserva de caixa para poder trabalhar em situações atípicas”, observa. Ele diz que o valor em caixa se mostra ainda mais importante no atual contexto. “Em março, um mês crítico na pandemia, o município fez grandes aportes”, lembra o secretário.

Diferentemente de 2020, neste ano, não estão previstas grandes liberações de recursos federais aos municípios. “Hoje nós temos condições orçamentarias para conseguir fazer frente a desafios que se impõem na pandemia. Apesar de 2021 ser um ano atípico, com orçamento menor que o ano assado, essa reserva nos possibilita um pouco mais de segurança”, pondera.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui