Lajeado monitora pessoas que tiveram contato com apenado infectado com Covid-19

Primeiro teste positivo do presídio foi conhecido nesta segunda-feira (29). Homem de 42 anos é de Estrela.


0
Há pelo menos 250 apenados no Presídio de Lajeado (Foto: Arquivo)

Dezessete pessoas que tiveram contato com um homem infectado com a Covid-19, e que é apenado, desde a segunda quinzena de junho, do regime fechado do Presídio Estadual de Lajeado, são monitoradas pela Secretaria municipal da Saúde. O grupo é formado por seis presos que estiveram com ele numa cela de quarentena, reservada a quem ingressa no sistema, e profissionais que atuam na casa prisional de Lajeado.


OUÇA A ENTREVISTA


Nenhum dos monitorados apresentou sintomas da doença até a tarde desta segunda-feira (29), conforme a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Lajeado, Juliana Demarchi. “Todos os contactantes diretos são monitorados por mais 14 dias, a contar do último dia em que tiveram contato com esse apenado”, explica.

O resultado positivo do teste realizado pelo homem, de 42 anos, foi conhecido na manhã desta segunda-feira. O morador de Estrela é o primeiro detento do presídio a ser diagnosticado com a doença. Ele foi preso no dia 18 de junho e começou a sentir sintomas no dia 25, como febre, dor de garganta, dor no corpo e tosse. Foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), de Lajeado. As amostras foram coletadas na sexta-feira (26) e encaminhadas ao Laboratório Central do Estado (Lacen).

Coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Lajeado, Juliana Demarchi (Foto: Natalia Ribeiro)

Os então companheiros de cela estão isolados e o homem que testou positivo foi levado para uma cela individual. O paciente tem apresentado melhora no quadro de saúde e não voltou a precisar de atendimento médico. Juliana conta que “no fim de semana ele apresentou remissão dos sintomas. Não tivemos mais registro de febre alta. Ele apresentou alguns episódios de pico febril e a intensidade dos sintomas reduziu bastante. Nesta segunda-feira seguia com dor de cabeça”. Se necessário, a legislação permite que ele seja levado até a UPA ou ao Hospital Bruno Born (HBB), de Lajeado.

Coordenadora da Vigilância em Saúde de Estrela, Carmen Hentschke afirma que “ele é jovem e não tem doenças crônicas consideradas de risco para a Covid-19”. A Secretaria da Saúde de Estrela foi avisada a respeito do teste pelos profissionais de Lajeado. Como o homem está num espaço de Lajeado, foi contabilizado como caso do município. A sua família deverá ser monitorada pela prefeitura de origem.

 

Medidas no presídio

Desde que teve início a pandemia, medidas sanitárias foram adotadas pela Secretaria da Administração Penitenciária (Seapen) e a Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) do Rio Grande do Sul para conter a disseminação do vírus em casas prisionais do estado. Recentemente foi informado um surto no presídio de São Leopoldo, no Vale dos Sinos. Conforme o assessor de imprensa da Seapen e da Susepe, Paulo Bogado, o caso de Lajeado não é o primeiro em regime fechado.

Bogado esclarece as normas técnicas adotadas nas casas prisionais do RS por conta da doença. Visitas, por exemplo, estão proibidas na pandemia. “Todo o preso que vem de delegacia, onde a Brigada Militar e a Polícia Civil prendem, só entra no sistema prisional para ficarem em cela de isolamento. Eles ficam 14 dias em cela de isolamento, por isso não houve contágio”.

Para configurar um surto, basta que dois casos positivos sejam informados com pessoas que convivem no mesmo espaço. Não é o caso do Presídio Estadual de Lajeado. Para que isso não se torne realidade, uma série de medidas estão sendo adotadas. Os apenados que tiveram contato com o infectado serão monitorados durante 14 dias. Se apresentarem sintomas, farão o teste tipo PCR. Caso contrário, ao final do período todos passarão por testagem rápida e seguirão sob cuidados por mais sete dias. O homem tem monitoramento constante, de acordo com a Prefeitura.

Entre os protocolos adotados estão: identificação de todos os contactantes (pessoas que tiveram contato com o paciente); reforço na orientação de uso de máscara; higienização diária das celas; e para os que estão isolados refeições dentro das celas, com utensílios descartáveis; e banho de sol em horários diferentes. Foi a quarta pessoa com sintomas gripais este ano no presídio masculino de Lajeado, sendo a primeira a testar positivo. No feminino não foram informadas suspeitas até o momento.

Texto: Natalia Ribeiro

jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui