Lajeado pode ter Censo Animal ainda neste ano

Projeto foi apresentado a Câmara de vereadores; Secretaria do Meio Ambiente diz que pode haver parceria com Univates


0
Censo Animal Animal deverá ocorrer a cada dois anos (Foto: Apama / Divulgação)

Na primeira sessão da Câmara de Vereadores de Lajeado, na última terça-feira (04) um projeto que tem grandes chances de virar realidade no município foi apresentado pela vereadora mais votada desta legislatura, Ana Rita Azambuja (MDB), popularmente conhecida como Ana da Apama.

O Censo Animal deverá ocorrer a cada dois anos, contendo questionário com questões como número e espécie de animais na residência; condição reprodutiva (esterilizado ou não) – se foi esterilizado pela Secretaria do Meio Ambiente ou particular; gênero do animal; se possui chip – se sim, o número de identificação; condições do abrigo do animal; nome, CPF e contato dos tutores dos animais; se está cadastrada no Cadastro Único para Programas Sociais; e se os animais são vacinados com médicos veterinários.

Segundo Ana, o projeto é essencial para iniciar outras estratégias contra o abandono e maus tratos. “É importante sabermos quantos animais temos castrados, chipados, vacinados, a situação que eles se encontram. E que isso seja por bairro, porque só assim a gente vai poder trabalhar no bairro que o problema é maior”, explica.

O Censo ainda estabelece que os animais deverão ser fotografados e as imagens armazenadas para que, em caso de fuga ou outras situações, os tutores possam ser identificados. Inicialmente o projeto será levado a votação ao legislativo, e se aprovado pelos vereadores, seguirá para apreciação do executivo. Dessa forma, a vereadora salienta a importância da atenção do poder público ao projeto.” É necessário que exista por parte dos gestores vontade porque isso é saúde pública. Esse projeto é essencial para o município e vou lutar por ele até o final”, destaca.

IBGE se recusa a participar
O Censo Animal pode ter problemas de ser realizado em Lajeado se depender dos serviços do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Conforme o secretário da Secretária Municipal de Meio Ambiente (Sema) Luis André Benoitt, a proposta já foi pauta há dois anos atrás, mas sem sucesso por parte do IBGE. “Até tentamos uma parceria junto ao IBGE, porém sem sucesso. Eles nos disseram que não faziam esse tipo de trabalho”, conta.

A alternativa, segundo ele, foi buscar ajuda dos agentes de saúde do município no ano passado. “A gente tentou realizar juntamente com os agentes de saúde. Fizemos uma reunião, mas algumas informações não vieram. No ano passado iriamos contratar uma empresa para realizar esse trabalho, mas por conta da pandemia tivemos que pausar o assunto”, relata.

Em 2021 o Censo Animal pode virar realidade, já que segundo Benoitt, pode haver uma parceria com a Univates. “Estamos retomando este assunto neste ano, orçando com empresas e vamos procurar a própria Univates para haver uma parceria”, comenta.

Texto: Caroline Silva

jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui