Lajeado programa Feira do Peixe Vivo durante a Semana Santa

As atividades ocorrerão junto à Feira do Produtor Rural, ao lado do Parque Professor Theobaldo Dick


0
Foto: Divulgação

Aguardada anualmente por produtores e consumidores, a comercialização de pescados durante a Semana Santa deverá seguir uma série de protocolos que envolvem as políticas de proteção relativas à Covid-19. Em Lajeado, a prefeitura, em parceria com a Emater/RS-Ascar, programa quatro dias consecutivos de comercialização, mesmo com a região estando em bandeira preta.

As atividades ocorrerão junto à Feira do Produtor Rural, ao lado do Parque Professor Theobaldo Dick, de terça (30) à quinta-feira (1º), das 9h às 18h, e na Sexta-Feira Santa (2), das 08h30 às 12h, ou enquanto houver oferta de peixes.

Resultado de um novo plano de contingência aprovado pela Vigilância Sanitária, a ação está autorizada, desde que siga as orientações dos decretos e do próprio plano, para que a feira possa ser realizada de forma segura tanto para piscicultores, como para consumidores. “Nesse sentido, solicita-se aos participantes que, obrigatoriamente, utilizem máscara e higienizem as mãos com álcool gel 70% antes de acessar o local da feira”, explica a extensionista da Emater/RS-Ascar, Andréia Binz Tonin, que reforça o fato de que será organizada fila, com distanciamento, para atendimento de no máximo dois consumidores por vez, no espaço da feira.

Responsáveis pela comercialização, os piscicultores de Lajeado e da Associação de Piscicultores de Sério ofertarão carpas das espécies capim, prateada, húngara e cabeça grande. Andréia lembra que os peixes são fontes de proteínas, vitaminas e sair minerais. “A proteína da carne de pescado tem alta digestibilidade e grande valor biológico, com aminoácidos essenciais ao organismo humano”, destaca. Já minerais como cálcio, magnésio, ferro, iodo, fósforo e cobre, estão presentes na carne de peixe, ajudando na formação de ossos, de dentes e no funcionamento do organismo. “Não por acaso, é recomendável o consumo de 100 gramas de carne de pescado ao dia”, observa a extensionista.

A Emater/RS-Ascar, que atua em parceria com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) do Governo do Estado, lembra que cada município poderá ter protocolos diferentes para a comercialização de pescados, devendo os envolvidos atuar em consonância com as determinações dos órgãos oficiais. “A orientação da Instituição é a de que, nos locais em que houver feiras, sejam respeitadas todas as medidas de contenção da pandemia”, explica o zootecnista da Emater/RS-Ascar, João Sampaio, que lembra que a compra online ou por take out (compre e leve) também estará disponível em alguns casos. Dúvidas podem ser tiradas nos escritórios da Emater/RS-Ascar de cada município. AI/VM

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui