Lajeado se torna segundo município gaúcho em casos de Covid-19

Após testes em massa em frigoríficos, Lajeado teve 198 novas infecções nesta quinta-feira (21). Vale chega a 1.004 testes positivos para a doença.


0
Foto: Reprodução / Freepik

Depois de testes em massa nos frigoríficos da BRF e da Minuano, Lajeado teve mais 198 casos de Covid-19 informados pela Secretaria Estadual da Saúde nesta quinta-feira (21). Com isso, soma o total de 577 pessoas que já testaram positivo para a doença e assume a segunda colocação no estado em número absoluto de casos. A cidade está a 24 infecções de alcançar o primeiro colocado, Porto Alegre, com 601.

Os dados do dia levam o Vale do Taquari a ter, até a noite desta quinta-feira, 999 pessoas que já testaram positivo para a doença. O dia ainda teve novos pacientes em Taquari (seis), Arroio do Meio (quatro), Estrela (três), Teutônia (três), Cruzeiro do Sul (dois), Marques de Souza (dois) e Anta Gorda, Bom Retiro do Sul, Encantado, Santa Clara do Sul e Progresso, com um cada. São 223 casos na data na região.

No Rio Grande do Sul foram 549 novos testes positivos nesta quinta-feira. Lajeado, com 198, teve 36% das ocorrências gaúchas. Já o Vale, que teve 223 na data, representa 40,6% do cálculo. Também nesta quinta o Estado reconheceu o 16º óbito causado pela Covid-19 em Lajeado. Se trata de um homem, de 64 anos, que faleceu na quarta-feira (20) no Hospital Bruno Born (HHB), de Lajeado. Ele é o primeiro dos 21 pacientes a falecer por conta da doença na região sem doenças associadas.

Situação dos frigoríficos

Em entrevista para a Rádio Independente na noite desta quinta-feira, a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Lajeado, Juliana Demarchi, disse que mais casos oriundos dos frigoríficos devem ser contabilizados para Lajeado nos próximos dias. Na quarta-feira (20) o município teve 137 novas infecções e nesta quinta-feira foram 198. Juliana reconheceu ainda que, por conta das testagens feitas com os funcionários das indústrias, “Lajeado pode ultrapassar Porto Alegre em número de casos”. Em vídeo publicado nas redes sociais na tarde desta quinta, o prefeito Marcelo Caumo (PP) disse que “99% das confirmações são oriundas dos frigoríficos”.

Por mais que os testes estejam aumentando a lista de casos positivos de Lajeado e do Vale do Taquari, as infecções detectadas nos frigoríficos são, em grande maioria, de pessoas que já estão recuperadas para o coronavírus.

Na BRF foram 1.553 testes entre 11 e 12 de maio. Desse total, 296 casos deram positivo para anticorpos da Covid-19 (o equivalente a 19,05%). Dos 1.553 testes, 1.120 eram de moradores de Lajeado, dos quais 195 (ou 17,41%) deram positivo.

Já na Minuano foram 636 testes entre os dias 17 e 20 de maio, sendo 127 negativos (19,9%) e 509 positivos (80,1%). Entre os positivos nesta empresa, 495 (77,8%) estão imunes e 14 ativos (2,2%) para a doença. Ambas indústrias seguem com as testagens.

A medida foi adotada por conta de acordo firmado com o Ministério Público (MP) para a retomada das atividades nas plantas dos frigoríficos em Lajeado.

Análise dos números

Além de subir uma posição em números absolutos para a doença no estado, passando de terceiro para segundo, Lajeado também mudou de colocação no quesito proporção. Na quarta tinha 380 casos, contra os 577 desta quinta. Agora também é o segundo colocado em incidência, com 735.1 casos a cada 100 mil habitantes. O primeiro é Saldanha Marinho, com 902.8 (tem 26 casos e três mortes para 2,4 mil moradores).

Dos 999 testes positivos que o Vale já teve, a maioria é de pessoas recuperadas da doença, com 670 (67%). Os demais são de 308 ativos (30,8%) e 21 óbitos (2,1%). As mortes ocorridas na região foram com moradores de Lajeado (16), Cruzeiro do Sul (dois), Roca Sales (um), Estrela (um) e Encantado (um).

O Rio Grande do Sul tinha 5.473 casos de Covid-19 até a noite desta quinta-feira. Destes, 3.907 recuperados (71,4%), 1.400 ativos (25,6%) e 166 mortes (3%). Já o Brasil registrou o total de 20.047 óbitos e 310.087 casos confirmados de novo coronavírus. Foram 1.188 novos registros de mortes em 24 horas, o recorde do país.

Classificação por bandeiras

Programa definido pelo governo do Rio Grande do Sul para conter a disseminação do coronavírus, o distanciamento controlado por bandeiras impõe restrições aos serviços e ao comércio. Onze critérios são levados em conta para a definição das bandeiras, que são atualizadas todos os sábados. Em vigor há duas semanas, o programa colocou, na primeira, o Vale do Taquari em bandeira vermelha – o único no estado.

No sábado passado, dia 16, os números da região melhoraram e o Vale evoluiu para a bandeira laranja, permitindo a reabertura do comércio. O aumento de casos nos últimos dias, porém, pode apresentar risco para a manutenção da bandeira. Desde segunda-feira (18) a região teve 402 novos casos confirmados e uma morte.

O governador Eduardo Leite (PSDB) admitiu, na quarta-feira, que será alterada a fórmula para o cálculo de casos visando a definição das bandeiras. Serão validados apenas os novos pacientes que estejam ocupando leitos de internação. A troca, contudo, só entra em vigor no dia 30 de maio, o que deixa a região em alerta para a próxima atualização, do sábado (23).

Um ponto favorável nesta semana para o Vale é o reconhecimento de 20 leitos de UTI Covid-19 pelo Ministério da Saúde no HBB e no Hospital Estrela. Este é um dos critérios utilizados pelo Piratini para fazer o cálculo.

Leitos Covid-19

A UTI Covid no Hospital Bruno Born (HBB), de Lajeado, tinha oito pessoas ocupando leitos por volta das 20h desta quinta-feira. Há 18 leitos deste tipo disponíveis no local. Já na UTI Covid do Hospital Estrela estavam quatro pessoas nesta quinta, ou seja, com seis vagas sobrando na oportunidade, visto que há dez leitos habilitados.

Em Lajeado ainda há 35 leitos de Internação Covid – com 12 pessoas na noite desta quinta; e dez de Observação, sendo todos vagos. O total é de 63 leitos, se somados à UTI. Em Estrela há outros 15 leitos de internação, sendo dois ocupados.

Texto: Natalia Ribeiro

jornalismo@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui