Lajeado trabalha em projeto para terceirização da iluminação pública apostando em tecnologia

Proposta ainda está em fase inicial, mas prevê iluminação interligada com semáforos, sistema de internet e câmeras de vigilância. Projeto deve sair do papel ainda em 2021


0
Av. Senador Alberto Pasqualini, Bairro São Cristóvão (Foto: Gabriela Hautrive)

Apostando em tecnologia, visando o conceito de cidade inteligente, o município de Lajeado trabalha na elaboração de um projeto que visa a terceirização dos serviços de iluminação pública na cidade. O tema foi assunto na sessão da Câmara de Vereadores nesta terça-feira (22) através do vereador, líder de governo, Mozart Lopes (PP). Conforme o secretário de Obras de Lajeado, Fabiano Bergmann (Medonho), o projeto está em fase inicial e vai muito além da iluminação, podendo interligar um sistema com semáforos e internet.

“Câmeras de vigilância, as sinaleiras, que seja tudo vinculado e contemplado dentro da mesma licitação. Vamos montar um projeto, espero que seja bem legal, e quem tiver ideias também pode contribuir”, relata. Não há um levantamento quanto ao número de pontos de iluminação na cidade, mas o secretário acredita que são mais de 15 mil, arrecadando cerca de R$ 260 mil e destinando cerca de R$ 350 mil ao mês para as concessionárias responsáveis pelo fornecimento de energia elétrica.


ouça a reportagem 

 


 

Novo projeto também irá garantir uma qualidade melhor dos equipamentos utilizados atualmente (Foto: Gabriela Hautrive)

Em maio, por exemplo, foi pago R$ 222 mil para RGE e R$ 127 mil para Certel, sem contabilizar os custos com serviços de manutenção. “É um custo mensal bastante elevado e talvez com a terceirização acreditamos que fique por ai, ou talvez gere até uma economia, mas primeiro precisamos montar o projeto e atender todas as demandas da cidade”, explica.

Os materiais usados na iluminação pública atualmente não terceirizados, porém operados pelos servidores da secretaria de Obras, o que também dificulta o trabalho conforme o titular da pasta. “Não é simplesmente chegar lá e trocar uma lâmpada, envolve o braço, o reator, a fotocélula, e são itens que o município compra através de licitação”, relata.

O processo do pregão eletrônico é aberto para empresas de outros estados, que na maioria das vezes acabam ganhando a licitação por terem o preço mais baixo, e isso resulta em uma demora a mais para chegada dos equipamentos quando necessário, além da qualidade dos mesmos. “Gostaríamos fazer uma licitação que participe somente quem é de Lajeado ou região, mas não podemos fazer isso e não podemos citar marca dos materiais. Como a licitação vai por preço, muitas vezes a qualidade desses materiais não é a esperada para que possamos atender as demandas”, reforça o secretário. Em 2019 foram gastos, com a compra de materiais, R$ 523 mil e em 2020, R$ 349,300. “São valores que poderíamos aplicar talvez em outras questões”, pondera.

Secretário de Obras de Lajeado, Fabiano Bergmann (Medonho) (Foto: Gabriela Hautrive)

O próximo passo, segundo o secretário, é reunir entidades, empresários, técnicos e secretários, para que juntos possam dar ideias e montar um projeto que seja ideal para aquilo que Lajeado precisa, alinhando as demandas na prática, o serviço oferecido para população e a inovação. Ainda sem data definida para que seja implantado, o novo sistema passará pelo processo de licitação, depois de pronto, e a previsão é de que saia do papel ainda neste ano de 2021. Uma comissão organizador já foi criada para trabalhar na coordenação das ações, inclusive com participação da Universidade do Vale do Taquari (Univates) e outras entidades.

Laboratório de Inovação Governamental Social

Um outro projeto recente, pensando em inovação, cocriação e testagem de novas ideias, fez o município de Lajeado se tornar pioneiro no Rio Grande do Sul no dia 4 de maio, ao lançar o 1º Laboratório de Inovação Governamental Social do Estado, o Labilá. A atividade tem como propósito estimular a cultura de inovação na cidade, envolvendo quatro pilares: Poder Público, comunidade, empresas e educação. O laboratório funcionará em uma espécie de galpão em frente à Praça do Chafariz, no Centro Histórico de Lajeado, com ideia também de revitalizar esta área da cidade.

Texto: Gabriela Hautrive
reportagem@independente.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui