Líder espiritual é denunciado por abuso sexual e estupro na Bahia

As denunciantes procuraram o projeto social Justiceiras e a Ouvidoria das Mulheres, órgão do Conselho Nacional do MP.


0
Foto:Divulgação

O Ministério Público da Bahia investiga denúncias de abuso sexual feitas por 14 mulheres contra um líder espiritual e ex-maçom. Jair Tércio Cunha Costa, de 63 anos, desenvolveu uma doutrina pedagógica que é estudada em retiros espirituais promovidos por ele mesmo, semanalmente.

As mulheres procuraram o projeto social Justiceiras, de apoio a vítimas de violência doméstica, e a Ouvidoria das Mulheres, órgão do Conselho Nacional do Ministério Público. Elas participavam da seita realizada por Jair Tércio.

Segundo o portal G1, uma das vítimas, a pedagoga Tatiana de Amorim Badaró, procurou amparo emocional na doutrina após ficar grávida. Ela frequentava as reuniões junto ao namorado há 12 anos, entre 2002 e 2015, e foi a primeira a denunciar. “Ele se aproveitou de um momento de extrema fragilidade. A partir daí eu perdi minha vida”, disse a pedagoga.

A mulher também conta que Jair fazia constantes ameaças dizendo que ela sofreria retaliações espirituais. “Ele dizia que ‘a espiritualidade vai te cobrar, porque você teve a chance de viver perto de um iluminado e não aceitou’”, detalha.

A promotora de Justiça Gabriella Manssur, explica que a maior dificuldade em casos de abusos sexuais é legitimar o depoimento da vítima, e que as situações acontecem por um longo período, fazendo com que as mulheres entendam que aquilo faz parte de um ritual. “Se conseguimos reunir vários depoimentos, há provas de que esses fatos ocorreram. São vítimas mulheres, muitas meninas ainda”.

Outro lado

O advogado de Jair, Fabiano Pimentel, afirma que seu cliente era um homem solteiro e que teve alguns relacionamentos amorosos, sem qualquer tipo de violência física ou psicológica em todos eles.

A Grande Loja Maçônica da Bahia informou, em nota, que os direitos maçônicos de Jair Tércio foram suspensos e que “não tem responsabilidade sob os atos dessa pessoa”.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui