Líderes reúnem-se com a PRF para definir detalhes do protesto que deve bloquear a BR-386 nesta quinta, em Lajeado

Setor do entretenimento manifesta-se contra aos decretos que restringem atividades no ramo de eventos sociais.


8
Sandro Sans (E) e Cássio Bonfadini (D) (Foto: Luís Fernando Wagner)

Líderes da mobilização contra os decretos municipal e estadual que restringem atividades nos setores de casas de festas, eventos e promoções sociais reúnem-se na tarde desta quarta-feira (2) com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Lajeado. O objetivo do encontro é definir detalhes do protesto marcado para esta quinta-feira (3), no qual a BR-386 deverá ser bloqueada para o tráfego de veículos nos dois sentidos. “Vamos nos reunir com a PRF, que certamente vai acompanhar a manifestação, para definir a dinâmica do bloqueio da rodovia”, revela um dos organizadores do protesto, o empresário do ramo da comunicação Cássio Bonfadini, o “Perdigão”.

Sem se apresentar desde março, o cantor sertanejo Sandro Sans frisa que o objetivo do protesto é chamar a atenção da sociedade para a situação dos trabalhadores do setor do entretenimento. “A gente foi aprendendo a fazer mágica para sustentar nossa família. O que buscamos com esse movimento é ser notado, e ser visto. Temos sido a classe mais injustiçada nessa pandemia. Para algumas pessoas que não estão preocupadas com nossa classe, só vão sentir se não puderam trabalhar, com um lockdown total. Vamos deixar todo mundo sem renda por nove meses para vermos o que vão achar”, desabafa.

Perdigão completa, dizendo que o movimento busca a empatia das pessoas. “É ruim fechar uma BR. Mas o que queremos é a empatia das pessoas. E se você não pudesse trabalhar por nove meses, o que faria?”, questiona.

De acordo com os organizadores, o ato deve começar entre 8h e 9h, nas imediações da Tritec e Guinchos Sansão, próximo do acesso ao Bairro Montanha. O protesto deverá ser pacífico, e não tem hora para terminar. O bloqueio da rodovia ocorrerá nos dois sentidos da pista. A PRF acompanhará a manifestação.

A mobilização visa pressionar o governo estadual a flexibilizar as restrições impostas aos segmentos do entretenimento, festas e eventos. Movimentos semelhantes devem acontecer nesta quinta-feira (3) em diversas partes do Rio Grande do Sul. Na sexta-feira (4), a partir das 11h, haverá um ato estadual, em frente ao palácio Piratini, sede do poder executivo gaúcho, em Porto Alegre.

Texto: Luís Fernando Wagner
redacao@independente.com.br

8 Comentários

  1. Merecem bala no lombo, o que as pessoas de bem comum tem a ver em fechar uma br.
    Mas vai reclamar o governador ou com o prefeito.

  2. Parabéns a Classe, que vcs possam ser a fagulha para acordar a população que aceita todos desmandos de nossos políticos.
    Por mais incomodo que seja o bloqueio, esta e a única forma para que sejam percebidos e levados a sério, como devem ser.
    Todos tem o mesmo direito, inclusive de poder trabalhar.

    Força

  3. Agora me fala, o que vai gerar de empatia nas pessoas fechando uma BR? Fico é com mais raiva dessas pessoas.
    Não faz show desde março pq não quer ou pq não foi contratado pra tocar por ai, pq tinham vários bares com música ao vivo. A reclamação agora é a mesma do começo da pandemia quando não podiam trabalhar por não ter eventos, agora que abriram pra ter eventos, olha no que deu…

  4. Primeiro sempre trancar uma BR. Ela não tem nada aver com isso. Vai protestar na frente da prefeitura que tenham mais chance. Uma BR é alguns minutos e a polícia manda cair fora.

  5. Lembrando que um deles foi candidato a vereador pelo partido de oposição ao governo de lajeado.
    Acredito que o interesse seja outro aí

  6. E o que a BR tem a ver com isso??
    Qualquer coisa o povo inventa de bloquear a rodovia más agora querer ir trabalhar ninguém quer

  7. E quem paga o pato de novo é o camioneiro que não tem nada a ver com a história. Bloqueia uma avenida na cidade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui