L’Oréal vai retirar termos como ‘clareador’ de seus produtos

Empresa de cosméticos vai fazer mudanças em seus produtos para a pele.


0
L'Oréal (Foto: Divulgação)

A gigante francesa do setor de cosméticos L’Oréal decidiu remover alguns termos, como “clareador”, da descrição de seus produtos, em um contexto mundial de protestos antirracismo.

A decisão foi tomada depois que a filial indiana da Unilever anunciou na última quinta-feira (25) que mudaria o nome de seu creme para clarear a pele, o “Fair&Lovely” (algo como “Clara&Bonita”), diante de uma campanha considerada racista.

A multinacional anglo-holandesa do setor de alimentação e de cosméticos prometeu não usar mais o termo “claro” (“fair”), afirmando estar “comprometida com celebrar todos os tons de pele”.

Nos Estados Unidos, em especial, mas também na França, na Índia, ou na Austrália, as marcas estão sob pressão, diante da amplitude dos protestos contra o racismo que se espalharam pelo mundo todo.

Nas últimas semanas, surgiram várias empresas decididas a mudar identidades visuais cheias de estereótipos raciais. A Apple lançou uma iniciativa de “igualdade e justiça racial” de US$ 100 milhões para educação, parcerias e empresas de propriedade de pessoas negras.

A PepsiCo anunciou um plano de US$ 400 milhões em cinco anos “para apoiar comunidades negras e aumentar sua representação” dentro do grupo.

Para além da mudança de nome dos produtos, no entanto, as empresas mostram um grande atraso em sua diversidade, principalmente entre os cargos de gerência.

De acordo com um relatório de 2019 do Boston Consulting Group, apenas três afro-americanos e 24 mulheres administram as 500 maiores empresas, em termos de receita, nos Estados Unidos.

Fonte: Correio do Povo

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Por favor, coloque o seu nome aqui